28 de julho - Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais

10/07/2018 - 16h55

O Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais foi reconhecido oficialmente por todos os países membros da Organização Mundial de Saúde em 2010. A data, 28 de julho, foi em honra ao aniversário do Nobel de Medicina de 1976, justamente pela descoberta do vírus B, o professor Baruch Samuel Blumberg.

Uma doença que atinge o fígado, órgão responsável pelo processamento das substâncias que entram no organismo e pela produção de outras essenciais à nossa existência. São predominantes no nosso meio as Hepatites A, B e C, mas existem pelo menos seis tipos de vírus reconhecidos e estudados.

Estima-se que em cada doze pessoas, uma é portadora de Hepatite B ou C. O Oeste de Santa Catarina é uma região com grande número de casos de Hepatite Crônica B em relação a outras regiões do país. Muitos já ouviram a respeito, mas nem todos têm conhecimento suficiente para manterem-se afastados da doença. E aí começa o nosso arsenal, com informação:

Hepatite A

- Com curso benigno, comum em crianças e adultos jovens;

- Manifesta-se agudamente com dor abdominal, icterícia (amarelão da pele), febre e mal-estar;

- Cura sem a necessidade de medicação específica contra o vírus;

- O contágio é através de água ou alimentos contaminados com microrganismos eliminados por pessoas doentes;

- Prevenção com hábitos de higiene e campanhas de saneamento básico;

- Existe vacina para prevenir a Hepatite A.

Hepatite B

- Pode tornar-se crônica, permanente. Cerca de

- 15 % das pessoas que entram em contato com vírus B, permanecem com ele no organismo causando lesão ao fígado;

- Pode levar à Cirrose Hepática (cicatrização e perda da função do órgão) e Carcinoma Hepatocelular (câncer de Fígado);

- Podem surgir sintomas como na Hepatite A, assim como a pessoa não ter nenhum sintoma;

- Contágio é sexual, transmissão de mães grávidas com Hepatite, ou através do contato com sangue de pessoas contaminadas com o vírus;

- Existe vacina contra o vírus B disponível na rede pública de saúde.

Hepatite C 

- Tem curso e comportamento semelhantes à Hepatite B;

- Cerca de 80% dos indivíduos que entrarem em contato com o vírus desenvolverão silenciosamente esta forma crônica;

- Também mantém íntima relação com Cirrose Hepática e é causa predominante dos transplantes hepáticos realizados no mundo;

- Infelizmente, não existe vacina contra o vírus C.

Recentemente, o Conselho Federal de Medicina recomendou que todas as especialidades médicas solicitem exames para detecção de Hepatites B e C nas avaliações de rotina de pacientes adultos, independente da presença de fatores ou comportamentos considerados de risco. São as autarquias constitucionais, os gestores de saúde pública, os profissionais da área da saúde, a sociedade, todos juntos contra as Hepatites Virais. Não há como não vencermos. Venceremos.

banner responsivo

  • por
  • Jornal Regional
  • FONTE
  • Dra. Débora Campello CRMSC 12962 - Gastroenterologista RQE 7124 - Hepatologista RQE 15575 - Especialista em Clínica Médica RQE 6302 - Membro Titular da Federação Brasileira de Gastroenterologia - Membro Titular da Sociedade Brasileira de Hepatologia - Ass



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook