Cidades do Extremo Oeste registram manifestações de apoio aos caminhoneiros

Em Tunápolis os estudantes foram às ruas para protestar (foto Gabriel Thomas/Rádio Tunaporã)

Em Tunápolis os estudantes foram às ruas para protestar (foto Gabriel Thomas/Rádio Tunaporã)

27/05/2018 - 09h35

Ao contrário do que o governo federal esperava, o movimento grevista dos caminhoneiros cresceu nos últimos dias. O efeito do pronunciamento do presidente Michel Temer, de que apenas uma minoria radical ainda insistia em permanecer em greve, repercutiu negativamente em todos os segmentos da sociedade brasileira. O extremo de culpar os transportadores de cargas autônomos por problemas por falta de medicamentos, por cirurgias canceladas e por ambulâncias que não circulam, problemas estes que existem já há muitos anos, irritou muita gente.

Em São Miguel do Oeste, na fronteira de Santa Catarina com a Argentina, o povo foi às ruas na tarde deste sábado (26) para protestar contra o governo. A manifestação foi liderada pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL). Conforme disse a presidente Solani Balbinot, os migueloestinos não apenas apoiam o movimento deflagrado pelos caminhoneiros, como também protestaram contra o excesso de impostos e a corrupção que levou o Brasil para o fundo do poço.

A exemplo de São Miguel do Oeste, em outras cidades do Extremo Oeste catarinense também aconteceram atos de apoio aos caminhoneiros. Em Descanso, durante a semana, uma carreata parou a cidade, com adesão dos comerciantes e das pessoas que caminhavam pelas ruas. Em Guarujá do Sul, os manifestantes se reuniram no trevo de acesso à cidade.

Na cidade de Romelândia, o apoio aos caminhoneiros foi demonstrado com faixas e queima de pneus. Iporã do Oeste fez sua manifestação no trevo da SC 163, no entroncamento que á acesso aos municípios de Itapiranga e Mondaí. Em São José do Cedro, uma caminhada, convocada pela CDL, com o apoio do poder público municipal, deu mostras que a comunidade está solidária à greve dos caminhoneiros.

ESTUDANTES NA RUA

Em Tunápolis, os alunos do 9º ano e ensino médio da EEB Padre Balduíno Rambo realizaram na manhã de sexta-feira uma passeata como forma de protesto em relação à situação econômica do país. Os estudantes saíram as ruas em frente ao educandário e seguiram em direção à Avenida Cerro Largo, e de lá passaram por outras ruas do centro da cidade, findando a mobilização novamente em frente à escola, onde foi executado o Hino Nacional Brasileiro. 


  • por
  • Jornal Regional



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook

SIGA-NOS