Crescem os registros de incêndios em vegetação na região

11/09/2018 - 16h10
Nessa época do ano, mesmo sem termos tido uma incidência muito significativa de geadas, cresce o número de ocorrências envolvendo queimadas. Só depois do dia 7 de setembro, em toda a área do 12º Batalhão, já foram atendidas mais de 13 ocorrências de incêndio em vegetação, sendo que foram 7 só em São Miguel do Oeste.

É comum o aumento desse tipo de ocorrência nos meses de outubro e novembro, pois a vegetação está seca com a passagem do inverno e há uma incidência de ventos considerável natural da época do ano. Esse ano temos também o fator da quantidade de chuvas não ter sido significativa nos últimos dias, o que fez com que as queimadas começassem mais cedo este ano.

Com base nisso e nos transtornos que este tipo de atividade causa, estamos alertando a população para redobrar os cuidados e evitar a realização de queimadas para limpeza, pois de acordo com a legislação, queimadas (qualquer queima a céu aberto) em perímetro urbano são vedadas e constituem crime ambiental.

No meio rural, existem algumas possibilidades de as queimadas serem autorizadas, mas cabe ao proprietário buscar esta autorização junto ao IMA – Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (antiga FATMA), que é o órgão licenciador no nosso estado. Se o proprietário cumprir com as condicionantes da lei, ele poderá receber a autorização e deverá, então, avisar aos vizinhos e autoridades o dia e horário que irá realizar a queimada na área autorizada.

Ainda assim se, mesmo tendo autorização, ele não tomar as medidas preventivas estipuladas e perder o controle do incêndio atingindo área não autorizada, poderá ser responsabilizado administrativa e criminalmente.

O Corpo de Bombeiros informa que estará repassando as informações destes tipos de queimada aos órgãos ambientais competentes. Isso pode acarretar aos responsáveis sanções administrativas, como a aplicação de multas e recomposição do dano, além de responderem na esfera penal.

Orientamos que sejam tomadas todas as medidas de proteção, como a construção de aceiros de proteção, preferir a realização de queimadas quando não houver incidência de ventos e realizá-las no final do dia ou início da manhã quando a temperatura é menor, tudo isso para evitar que elas causem ainda mais danos aos patrimônios e ao meio ambiente, mas essa orientação NÃO constitui uma autorização para que a queimada seja realizada.

Quaisquer dúvidas, basta contatar o Corpo de Bombeiros Militar da sua cidade ou a Polícia Militar Ambiental.

  • por
  • Jornal Regional



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook

SIGA-NOS