Crianças participam de brincadeiras e jogos educativos na brinquedoteca da Unoesc
A atividade faz parte do projeto de extensão do curso de Pedagogia "Vivenciando o Processo de Alfabetização e Letramento na Brinquedoteca", articulada ao projeto social "A Escola na Brinquedoteca".

20/06/2018 - 17h02

Alunos do 1º ano do Ensino Fundamental da Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental Amália Daltoé Agostini conheceram, neste mês, a brinquedoteca da Unoesc. As 29 crianças se divertiram e aprenderam, por meio de brincadeiras de identificação (raspadinha do nome); bingo do nome; contação de histórias; brincadeiras de roda; cantigas e jogos educativos com foco na alfabetização. A brinquedoteca possui um rico acervo de jogos e brinquedos, inclusive em braile e em libras, que contemplam as diversas áreas do conhecimento.

A atividade faz parte do projeto de extensão do curso de Pedagogia, "Vivenciando o Processo de Alfabetização e Letramento na Brinquedoteca", articulado ao projeto social "A Escola na Brinquedoteca".  As atividades terão sequência, durante o segundo semestre, envolvendo crianças da Educação Infantil. "Os projetos têm o objetivo de desenvolver práticas pedagógicas lúdicas, no espaço da brinquedoteca, visando vivências significativas para a construção de saberes, especialmente no processo de alfabetização e letramento", destaca a coordenadora do curso, professora Giovana Maria di Domênico Silva.

Giovana destaca que, durante os jogos e as brincadeiras, as crianças adquirem diversas experiências; interagem com outras pessoas; organizam seu pensamento; tomam decisões; desenvolvem o pensamento abstrato e criam maneiras diversificadas de jogar, brincar e produzir conhecimentos. "Nesse sentido, os jogos e as brincadeiras são instrumentos pedagógicos importantes e determinantes para o desenvolvimento e aprendizagem da criança. Assim é fundamental que o futuro professor possa agregar essa experiência ao seu processo formativo", salienta Giovana.  

Para a acadêmica Jaqueline Moesch, os projetos contribuem de forma significativa para a formação acadêmica. "Cada projeto tem sua especificidade e cada grupo trabalhado tem seu perfil. Assim posso ter a vivência com diferentes crianças e estar preparada para os desafios que irei encontrar, quando atuar como pedagoga", avalia a estudante. 


  • por
  • Jornal Regional
  • FONTE
  • Ascom/Unoesc



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook