Estudantes apresentam projetos de exploração espacial em torneio regional de robótica
Time vencedor e que representará a região Oeste na etapa estadual é o Legacy, de São Miguel do Oeste.

Times com as premiações

Times com as premiações

20/08/2018 - 17h56

Crianças e adolescentes de turmas de Educação Maker do SESI, entidade da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC), de Xanxerê, São José do Cedro e Pinhalzinho e do Programa de Iniciação Tecnológica Empreendedora (PITE) de Chapecó e São Miguel do Oeste participaram, no fim de semana, da etapa regional do FIRST LEGO League (FLL), no SESI de Xanxerê. Os estudantes, com idades entre 9 e 16 anos, concorreram a uma vaga na competição estadual, que acontece nos dias 18, 19 e 20 de outubro, em Rio do Sul.

No período da manhã, os times iniciaram com integração, sendo recepcionados pela equipe de apoio e pelo padrinho do Torneio, o diretor regional Oeste do SESI Claudemir Bonatto, que reforçou sobre a importância do evento. De acordo com ele, a iniciativa fortalece a capacidade de inovação, criatividade e raciocínio lógico. “Além de robótica, a competição contribuiu para o desenvolvimento de múltiplas competências por meio da metodologia STEAM – Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática”, realçou.

O time que teve melhor desempenho e equilíbrio em todas as avaliações e representará a região Oeste na etapa estadual é o Legacy, de São Miguel do Oeste. A equipe de Chapecó, Star Trekkers, ficou em segundo lugar e em terceiro foi classificado o time de Pinhalzinho, Space Makers.

As primeiras avaliações foram referentes aos projetos de pesquisa, que tiveram como temática a exploração espacial. Os competidores tinham como tarefa desenvolver soluções para problemas físicos e sociais dos astronautas e, a partir disso, propor melhorias para as missões espaciais. Após apresentarem os projetos, os alunos expuseram os Core Values (valores do coração) que são os valores do torneio como Coopetition (Cooperar para Competir) e Gracious Professionalism (Profissionalismo Gracioso). “Isso refere-se a como a equipe desenvolveu suas atividades, se todos os integrantes foram ouvidos e se compartilharam com os colegas os seus projetos. Esses valores são a base do torneio e fazem com que seja uma competição que desenvolve muito mais que robôs”, frisou a coordenadora da Educação Oeste do SESI, Adriana Perin.

No período da tarde iniciaram as atividades do desafio do robô na mesa com tapete cheio de missões espaciais. Para esse desafio era necessário criar robôs com kits de robótica LEGO, programando-os de modo que em dois minutos e 30 segundos ele resolvesse o máximo de missões para alcançar uma maior pontuação.

Além das etapas avaliativas, ocorreram desafios de dança, oficinas de tecnologia e robótica e atividades no Caminhão do SESI Ciências. “Com certeza o maior valor do torneio, que é ‘o que aprendemos é mais importante do que conquistamos’, permeou o sábado”, finalizou a supervisora de Educação do SESI, Josiane Fustes.


  • por
  • Jornal Regional
  • FONTE
  • MB Comunicação



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook