Inglaterra sofre, mas vence a Tunísia na estreia com dois gols de Harry Kane

18/06/2018 - 18h11

A nova geração da Inglaterra parecia que iria fazer como a velha e decepcionar em sua estreia na Copa do Mundo, mas acabou batendo a Tunísia com um gol de Harry Kane nos acréscimos: 2 a 1 em Volgogrado, pelo Grupo G. Com média de idade de 26 anos e 18 dias, a Inglaterra tem o terceiro elenco mais jovem da Copa (atrás apenas de Nigéria e França), e a falta de experiência ficou evidente: o começo foi excelente, com gol logo aos 10 minutos (de Harry Kane, 24 anos), mas, após pênalti tolo de Walker e o empate da Tunísia (gol de Sassi), alguns dos principais jogadores da Inglaterra simplesmente sumiram em campo, como Sterling (23 anos) e Dele Alli (22), sentindo a pressão de um estádio com muitos russos torcendo pelo time do norte da África. Coube a Harry Kane, que não fazia boa atuação, mostrar seu oportunismo e fazer, de cabeça, o gol da vitória nos acréscimos, em cobrança de escanteio que teve o desvio de Maguire.

COMO FICA E O QUE VEM POR AÍ

A Inglaterra empata em pontos com a Bélgica no Grupo G, mas fica atrás no saldo de gols (três contra um). O próximo jogo da Tunísia será no sábado, contra a Bélgica, em Moscou, no estádio do Spartak, às 9h. Já a Inglaterra encara o Panamá no domingo, em Nizhny Novgorod, também às 9h.

PRIMEIRO TEMPO

A Inglaterra começou num ritmo forte, criando uma chance atrás da outra. O gol não demorou a sair. Aos 10, o zagueiro Stones acertou uma linda cabeçada, e o goleiro Hassen fez uma defesaça. No rebote, Kane mandou para dentro. A partida estava fácil demais para a Inglaterra. Até que Walker, aos 32, cometeu um pênalti bobo, convertido por Sassi, recolocando a Tunísia no jogo. Stones e Lingard ainda tiveram chances claras para marcar, mas falharam.

SEGUNDO TEMPO

O jovem time inglês parecia sentir a pressão. À medida em que o tempo ia passando, os jogadores falhavam cada vez mais. Dele Alli sumiu em campo, e Sterling errava tudo o que tentava, enquanto Kane mostrava dificuldade recebendo de costas entre os zagueiros. Para a Tunísia, a proposta era clara: segurar o empate e sair só num contra-ataque. Sterling foi o primeiro a sair, aos 23 - Southgate colocou Rashford para ajudar Kane na função de brigar com os zagueiros. Delle Alli deu lugar a Loftus-Cheek. Mas a Inglaterra continuou tentando entrar pelo meio. Os alas Trippier e Young foram pouco acionados. O gol salvador acabou vindo nos acréscimos, num escanteio desviado por Maguire e completado por Harry Kane.

FURACÃO INGLÊS

Os gols da vitória sobre a Tunísia foram os primeiros de Harry Kane em grandes competições com a Inglaterra. Antes, havia passado em branco no Europeu Sub-21, em 2015, e também na Euro 2016, quando a seleção inglesa foi eliminada pela Islândia nas oitavas de final. Capitão do time, o camisa 9 inglês só precisou de duas chances claras para resolver o jogo. Kane chega agora a 15 gols em 25 jogos com a camisa da seleção.


  • por
  • Jornal Regional



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook