Juíza da Lava Jato determina prisão de Dirceu
Ex-ministro foi condenado pela Lava Jato a cumprir pena de 30 anos, nove meses e dez dias

José Dirceu, um dos homens fortes de Lula, deve ir pra cadeia ainda nesta sexta

José Dirceu, um dos homens fortes de Lula, deve ir pra cadeia ainda nesta sexta

18/05/2018 - 09h00

A juíza Gabriela Hardt, substituta do juiz federal Sérgio Moro, na 13ª Vara Federal de Curitiba, expediu nesta quinta-feira, o mandado de prisão para o ex-ministro José Dirceu começar a cumprir a pena de 30 anos, nove meses e dez dias de prisão na Operação Lava Jato. Mais cedo, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) negou um recurso decisivo do petista e abriu caminho para Dirceu ser preso. O mandado foi expedido pela magistrada, porque Sérgio Moro está fora do País.

A magistrada mandou Dirceu "apresentar-se à carceragem da Polícia Federal em Brasília no dia 18 de maio de 2018, até as 17h, ocasião na qual a autoridade policial deverá cumprir o mandado". "Após a efetivação da prisão, autorizo desde logo a transferência para o sistema prisional em Curitiba, Complexo Médico Penal, ala reservada aos presos da Operação Lava Jato, sem prejuízo de eventual recambiamento ao Complexo Penitenciário da Papuda, no futuro, se for o caso", determinou Gabriela Hardt.

A magistrada registrou que o acórdão do Tribunal da Lava Jato determinou a execução da pena "assim que exaurida esta segunda instância", pois "outros recursos, excepcionais, aos tribunais superiores, sem efeito suspensivo, não têm o condão de adiar indefinidamente a resposta penal, sob pena de darem margem à manipulação protelatória dos meios recursais e implicarem impunidade". "Não cabe a este Juízo discutir a ordem", afirmou Gabriela Hardt.

"Agrego apenas que tratando-se de crimes de gravidade, inclusive corrupção e lavagem de dinheiro, com produto do crime calculado em cerca de R$ 46.412.340,00, com somente uma pequena parcela recuperada, a execução após a condenação em segundo grau impõe-se sob pena de dar causa a processos sem fim e a, na prática, impunidade de sérias condutas criminais".

Zé Dirceu foi condenado pelo juiz federal Sérgio Moro, em 1.ª instância, por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e pertinência à organização criminosa por envolvimento no esquema de corrupção da Petrobras. O ex-ministro teve a pena aumentada pelo Tribunal de 20 anos e 10 meses para 30 anos, 9 meses e 10 dias. Dirceu foi preso em agosto de 2015, em regime preventivo, por ordem do juiz Sérgio Moro. Em maio do ano passado, o Supremo Tribunal Federal (STF) o colocou em liberdade.


  • por
  • Jornal Regional
  • FONTE
  • CP



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook