Moradora de Dionísio Cerqueira morre cinco dias após contato com taturana

08/01/2018 - 21h36
Uma mulher de 60 anos morreu na noite deste domingo (07), por volta das 23h30min, no Hospital Regional de São Miguel do Oeste/SC em decorrência de envenenamento por contato com a lagarta taturana. Ela deu entrada no hospital na última quarta-feira (03), mas o acidente teria ocorrido ainda na terça-feira (02), no interior de Dionísio Cerqueira/SC. 

Conforme a diretora técnica do Hospital Regional, a médica Kátia Bugs, a mulher, identificada como Tereza Griebler, não relatou, no primeiro atendimento, em Dionísio Cerqueira, o contato com a lagarta, o que dificultou o diagnóstico e tratamento inicial. Após, ela buscou novo atendimento médico, já com o quadro evoluído, sendo transferida para São Miguel do Oeste. Assim, o soro antilonômico, que deve ser administrado o mais rápido possível, não foi suficiente para reverter o quadro. 

A médica ressalta que, em casos de contato com a lagarta, a vítima deve procurar rapidamente o atendimento médico e comunicar o fato, recebendo assim o soro e anulando as toxinas mortais do animal. "Quanto mais precoce for a administração menores serão os danos causados, pois há uma maior 'neutralização do veneno'", explica a médica. 

Os primeiros atendimentos a vítima foram no posto de saúde e no hospital de Dionísio Cerqueira, que encaminhou o caso para São Miguel do Oeste. 

  • por
  • Jornal Regional
  • FONTE
  • Portalsmo.com.br



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook