Mulher que mentiu ao dizer ter sido estuprada é indiciada pela Polícia Civil

13/09/2018 - 20h29
A Polícia Civil, por meio da DPCAMI Chapecó, concluiu, hoje (13) a investigação que apurava suposto estupro que teria vitimado I.F.F. de 49 anos. Após o marido descobrir seu relacionamento extraconjugal, I.F.F foi até a DPCAMI e narrou ter sido vítima de estupro, apontando seu amante como autor do crime.

Durante as investigações verificou-se que a versão apresentada pela suposta vítima não correspondia ao apurado pela equipe da DPCAMI. 

Ao prestar novo depoimento I.F.F. entrou em contradição e a verdadeira história foi descoberta. Acionar a polícia, dando causa a uma investigação policial sobre fatos que não ocorreram, e apontar pessoa inocente como seu autor, é crime de denunciação caluniosa, punido com pena de reclusão de 2 a 8 anos. 

A Polícia Civil, por meio da DPCAMI, desenvolve um trabalho investigativo sério e profissional, estando sempre pronta para proteger e buscar a punição daqueles que atentam contra a integridade física ou psicológica das mulheres, crianças, adolescentes e idosos, no entanto, não podem os trabalhos policiais podem ser usados para prejudicar terceiros ou corrigir erros pessoais por meio de acusações irresponsáveis. 

Toda denúncia é apurada e busca-se a punição exemplar do infrator, porém, sempre observando os valores da legalidade e justiça. 

  • por
  • Jornal Regional
  • FONTE
  • Policia Civil



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook