MUNDIAL DE CLUBES: Má atuação do Pachuca serve de alerta para o Grêmio

11/12/2017 - 06h51
banner responsivo

A má impressão deixada pelo Pachuca na vitória magra sobre o Wydad Casablanca não diminuiu a atenção que o Grêmio está dando ao adversário de terça-feira na semifinal do Mundial de Clubes da Fifa. Bem pelo contrário, o desempenho fraco dos mexicanos serve como alerta para que um tropeço não venha acabar com o sonho do bicampeonato mundial.

Nervoso. Assim podemos definir o primeiro tempo do jogo entre Pachuca e Wydad Casablanca. A partida que vai definir o próximo adversário do Grêmio na caminhada rumo ao bicampeonato mundial começou com as equipes mostrando o que tem de melhor: a velocidade. Apesar de executar as jogadas com rapidez, os dois times careciam de inspiração e exatamente por isso os goleiros Oscar Perez e Laaroubi pouco trabalharam nos primeiros 45 minutos.

Com o apoio da torcida no estádio Xeique Zayed, o Wydad Casablanca iniciou o confronto de forma ousada, com marcação alta e tentando surpreender a defesa do Pachuca com desarmes próximos da grande a área. A tentativa, porém, só durou até os 15 minutos, período em que o clube mexicano começou a arregaçar as mangas e investir no controle de bola de Honda e nas arracandas de Aguirre pelo lado esquerdo e Urretaviscaya pelo lado direito.

Para o Wydad, a única saída era apostar na velocidade de Bencharki. O garoto até que começou bem o jogo e tinha vitória pessoal na maioria das jogadas, mas o zagueiro Murillo logo percebeu o atalho necessário para parar o velocista do time marroquino.

Foi uma etapa inicial em que Pachua e Wydad pouco apresentaram, talvez por ainda não saber como explorar as fragilidades do adversário. Tudo isso serviu para confortar o torcedor gremista, que não viu nada de assustador nos possíveis inimigos no Mundial de Clubes.

Pachuca melhora, mas não supera ansiedade 

Com mais qualidade do que o adversário, o Pachuca decidiu fazer mais do que fez na etapa inicial. Além de avançar as suas linhas, o time mexicano começou a encurralar o Wydad Casablanca e promoveu ao menos duas jogadas perigosas antes dos 10 minutos. A primeira veio aos dois, com Honda. O meia japonês aproveitou a saída errada do goleiro Laaroubi e arriscou de fora da área. O chute saiu forte e rasteiro e assustou a torcida marroquina. Mais tarde, aos oito, Aguirre recebeu lançamento na esquerda e só tinha o trabalho de cruzar para Urretaviscaya fazer o gol, mas o passe saiu errado.

A resposta do Wydad veio aos 17 minutos, quando El Haddad ingressou no gramado no lugar de Aoulad e fez grande jogada pela ponta esquerda. Ele partiu para cima de Aguirre e tentou encobrir o goleiro Perez. A bola triscou o travessão. Um minuto depois, o Pachuca voltou a assustar quando Guzmann apareceu livre no lado direito. Ele cruzou forte e, para sorte do Wydad, o zagueiro Comara apareceu cortar o lance.

Os ventos dos Emirados Árabes começaram a soprar em favor do Pachuca aos 23 minutos, quando o volante e capião do Wydad Casablanca Nakach recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso do jogo. Mesmo com esta vantagem, o time mexicano ficou ainda mais nervoso dentro de campo, e já não conseguia criar tantas situações como nos minutos iniciais da etapa complementar. A ansiedade em busca do primeiro gol impediu que o Pachuca conseguisse abrir o placar, levando o jogo para a prorrogação.

Enfim, a classificação 

Foram mais de 90 minutos de sofrimento para o Pachuca, que insistia contra o Wydad Casablanca. Os marroquinos quase conseguiram a classificação num erro da zaga mexicana, que Hadjhouj não conseguiu aproveitar. Aos seis minutos do segundo tempo da prorrogação, o meia-atacante chutou forte e a bola bateu na rede pelo lado de fora.

A redenção para o Pachuca veio um minuto depois, quase no apagar das luzes. Após uma boa escapada pela direita de Urretaviscaya, Guzman aproveitou o cruzamento e fez, de cabeça, um bonito gol, para fazer 1 a 0 e garantir a classificação do clube mexicano para a semifinal do Mundial de Clubes.

O jogo mostrou que o Grêmio tem todas as condições de seguir adiante no Mundial. O Pachuca, embora tenha vencido, deixou a desejar e não se apresentou como um adversário capaz de jogar de igual para igual com o tricampeão da Libertadores. O futebol, porém, é surpreendente e lembra que, em anos anteriores, a zebra já passou pelos Emirados Árabes.

Mundial de Clubes 2017 - Quartas de final

Pachuca 1 

Oscar Pérez; Emmanuel García, Óscar Murillo, Omar Gonzáles, Raúl López; Jorge Hernández; Honda, Gúzman, Germán Cano, Urretaviscaya; Franco Jara. Técnico: Diego Alonso.

Wydad Casablanca 0

Laaroubi; Noussir, Rabeh, Attouchi, El Hachimi; Nakach; Khadrouf, El Harti, Saldi, El Haddad; Bencharki. Técnico: Hussein Amotta.

Gol: Guzman, aos 7/2º da prorrogação

Local: Estádio Xeique Zayed, em Abu Dhabi (Emirados Árabes)


  • por
  • Kia Chavious
  • FONTE
  • Correio do Povo



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook