Saques do FGTS podem ajudar consumidores inadimplentes a quitar dívidas
30,2 milhões de brasileiros poderão sacar o dinheiro das contas inativas. Beneficiários poderão utilizar o recurso para renegociar débitos não pagos. No início do ano, havia 59,7 milhões de pessoas com o nome sujo no país.

13/03/2017 - 16h00

O dinheiro das contas inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), liberado pela Caixa Econômica Federal a partir do dia 10 pode ser a ajuda que faltava para o consumidor inadimplente saldar seus débitos em atraso e reconquistar o nome limpo. São 30,2 milhões de trabalhadores com direito aos saques das contas inativas. Em janeiro de 2017, de acordo com estudo da Serasa Experian, o país contabilizava 59,7 milhões de inadimplentes, número recorde para um começo de ano desde 2013, quando a empresa iniciou o levantamento. As dívidas atrasadas desses consumidores somavam a R$ 270 bilhões. 


O vice-presidente do SerasaConsumidor, Silvio Frison, explica que é a oportunidade de o consumidor se empoderar e reassumir o controle da vida financeira. “Permitir que as pessoas voltem a ter crédito também é uma forma de resgatar a dignidade delas". 


Segundo o executivo, os trabalhadores com nome sujo devem procurar o credor para negociar o pagamento dos débitos em aberto, com possíveis descontos. “A atividade econômica enfraquecida, com o aumento do desemprego, e o atual modelo de concessão de crédito das empresas, que desconhecem o real nível de endividamento das pessoas contribuíram para o agravamento geral do quadro da inadimplência no país”, diz Frison


Os saques do FGTS estão liberados entre 10 de março e 31 de julho de 2017, de acordo com cronograma estabelecido pela Caixa Econômica Federal e baseado na data de aniversário dos trabalhadores. 


Confira dicas dos especialistas da Serasa para o uso FGTS

Se você tem dívidas atrasadas:

  1. Faça uma conta realista e veja quanto pode dispor do FGTS para quitar débitos atrasados. Lembre-se: para conquistar a tranquilidade de ter o nome limpo, essa deve ser a prioridade.
  2. Não se empolgue ao receber o dinheiro. Muitas vezes os apelos de consumo podem tentar desviar sua meta de pagar dívidas, mas mantenha-se firme.
  3. Caso não seja possível quitar todas as contas atrasadas com o dinheiro sacado do fundo, opte pelo pagamento daquelas que têm juros maiores, como cartão de crédito e cheque especial, por exemplo.
  4. Procure seus credores e mostre sua disposição em quitar os débitos em aberto.
  1. O Limpa Nome Online da Serasa pode ser um caminho para a renegociação. Acessando www.serasaconsumidor.com.br/limpa-nome-online é possível verificar as pendências financeiras com as empresas participantes, bem como renegociar as dívidas pelo próprio site.
  1. Ao renegociar, seja sincero e só aceite uma proposta que caiba em seu orçamento.
  2. Se achar necessário, peça ajuda a alguém confiável, como parentes ou amigos. A presença de outra pessoa no momento da renegociação ajuda a dar segurança na hora de avaliar, de forma mais racional, ajudando a definir quanto pagar, se a proposta do credor é boa e se é possível honrar o pagamento.
  1. Não faça mais dívidas. Na medida do possível, compre à vista e reduza seus gastos fixos até conseguir sair do vermelho.
  1. Enquanto estiver pagando as dívidas negociadas, controle seus gastos e, se possível, tente reduzir despesas. Por meio do link http://www.serasaconsumidor.com.br/guia-orientacao/capitulo-3.php você tem acesso ao Guia de Orientação ao Cidadão Serasa Experian, desenvolvido para ajudar o consumidor a controlar melhor sua vida financeira.

Se você não tem dívidas atrasadas:

  1. Priorize investir o dinheiro do FGTS em uma aplicação financeira confiável. Lembre-se que esse dinheiro, se bem aplicado, pode significar a realização de um sonho maior, como a compra de um carro, um imóvel ou uma viagem.
  2. Caso planeje a aquisição de um bem, antes de efetivar a compra, pare e pense: você precisa mesmo daquele produto/serviço? Tente diferenciar o que precisa daquilo que simplesmente é um desejo.
  3. Discuta a necessidade da compra com a família/parceiro/amigo.
  4. Faça uma lista dos itens que pretende comprar. Essa é uma das regras básicas para evitar gastar por impulso. Com o papel nas mãos, o consumidor só vai atrás dos produtos que realmente estão na lista sem cair em tentação.

5.    Não caia na armadilha de levar o dinheiro sacado na carteira ao ir a um centro de consumo, como um shopping: isso pode estimular a compra por impulso.

6.    Planeje sua ascensão econômica e social por meio do estudo, do trabalho e da criação novas fontes de renda e não pela compra de itens de luxo, que não condizem com sua renda.

  1. Muitas vezes, as pessoas vão às compras em busca de uma recompensa. Mas pense nas consequências: você merece gastar o dinheiro do FGTS em uma compra mal planejada?
  2. Tenha sempre uma meta ou um plano de vida para realizar seus sonhos. 

  • por
  • Kia Chavious
  • FONTE
  • Serasa Experian



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook