Sicoob São Miguel recebe novamente Certificado de Responsabilidade Social da ALESC

Edemar Fronchetti, presidente do Sicoob São Miguel e Olavo Lazzarotto, gerente administrativo do Sicoob Central SC/RS

Edemar Fronchetti, presidente do Sicoob São Miguel e Olavo Lazzarotto, gerente administrativo do Sicoob Central SC/RS

07/12/2017 - 17h04

A Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina – ALESC, com a Comissão Mista de Certificação de Responsabilidade Social, entregaram na noite de segunda-feira (4), às ganhadoras, o Certificado e Troféu de Responsabilidade Social – Destaque SC 2017. A sessão especial em reconhecimento às organizações que se destacaram em práticas de responsabilidade socioambiental foi realizada no Plenário Osni Régis, em Florianópolis.


Na condução da solenidade, o presidente da Alesc, deputado Silvio Dreveck (PP), registrou a satisfação dos parlamentares em valorizar as empresas e entidades com atuação socialmente responsável. Para ele, a certificação é um reconhecimento que dá visibilidade às empresas e abre novas oportunidades de negócios, geração de emprego e renda. Dreveck destacou a credibilidade do processo de avaliação para outorga da certificação. “É um trabalho eminentemente técnico, com uma avaliação muito profunda, sem nenhuma conotação política”, elogiou.


A Certificação, instituída pela Lei 12.918, de 23 de janeiro de 2004, valoriza empresas públicas e privadas e organizações que tenham a responsabilidade socioambiental incluída em suas políticas de gestão. Em 2017, apenas organizações 60 cumpriram os requisitos para certificação, dentre as 4 cooperativas certificadas, o Sicoob São Miguel e Sicoob Central SC/RS.


O Sicoob São Miguel, recebeu novamente a certificação de responsabilidade social. O presidente da cooperativa, Edemar Fronchetti, que recebeu o prêmio, destaca a relevância desse reconhecimento para a cooperativa. “Este é mais um reconhecimento de ações que se aplicam na prática, no dia a dia da instituição. É gratificante ter esse reconhecimento, e perceber que o Sicoob não vive isolado numa ilha, ele pertence a uma comunidade e atua pelo desenvolvimento dela”, finaliza.


  • por
  • Jornal Regional



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook