TSE registra 260 ocorrências, com 48 presos e 711 urnas trocadas em todo o Brasil

30/10/2016 - 17h54

Balanço divulgado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aponta que, até as 15h47 deste domingo (30), 48 pessoas haviam sido presas neste dia de segundo turno nas eleições municipais em 57 cidades.

Dessas 48, 40 foram presas por boca de urna; três, por propaganda ilegal; uma, por uso irregular de alto-falantes; e quatro, por motivos não informados.

Ao todo, segundo o TSE, foram registradas 260 ocorrências até o meio da tarde – todas com não candidatos.

O boletim divulgado anteriormente pelo tribunal, às 14 horas, informava que dois candidatos do Ceará haviam sido notificados por boca de urna, sem prisão. Na nova atualização, entretanto, o número de notificações a candidatos caiu para zero.

De acordo com o TSE, foi entendido que as ações que poderiam ser classificadas como boca de urna foram praticadas por pessoas ao redor dos candidatos, e não por eles. Com isso, as notificações foram retiradas.

Urnas
Segundo o balanço divulgado pela Justiça Eleitoral, o número de urnas substituídas chegou a 711 até as 15h47, o equivalente a 0,771% do total. Apesar disso, todas as seções, até esse horário, seguiam com votação eletrônica, sem necessidade do voto em papel.

Os estados com o maior número de urnas substituídas foram Rio de Janeiro (212), São Paulo (118) e Ceará (103).

De acordo com o TSE, foram disponibilizadas 93.532 urnas para este dia eleição. Desse total, 12.477 mil estarão disponíveis para trocar equipamentos quebrados (e 1.703 disponíveis para justificativas de ausências).

Gilmar Mendes
Por volta das 17h, o presidente do TSE foi à sede do tribunal acompanhar o início da apuração do segundo turno.

Em rápida entrevista a jornalistas, repetiu que a eleição “transcorreu num clima de paz, de normalidade”. Destacou, no entanto, a situação de Curitiba e Santa Catarina, onde a Justiça Eleitoral teve de mudar locais de votação por conta de escolas ocupadas por alunos que protestam contra o congelamento de gastos na educação.

Gilmar Mendes disse que a Justiça Eleitoral vai levantar quanto custou a operação, sem, no entanto, dizer se os valores serão cobrados dos responsáveis pelas ocupações.

“O que já sabemos é que isso envolveu custos para a Justiça Eleitoral, em Santa Catarina e também em Curitiba. De qualquer forma, a Justiça Eleitoral tomou todas as providências para que houvesse a nova alocação, comunicando também, e esse foi o grande esforço, os eleitores, porque envolvia um novo endereço… tudo já estava divulgado. Mas tudo correu bem, depois vamos informar os custos quanto à operação”, disse.

Segundo turno
Ao todo, 32,9 milhões de eleitores estavam aptos a votar neste domingo em postos de votação em todo o país para eleger, em segundo turno, os prefeitos de 57 municípios (114 candidatos).

Dessas 57 cidades, 18 são capitais e, 39, municípios com mais de 200 mil eleitores. Nas seções eleitorais atuarão 390.237 mesários, dos quais 182.308 voluntários.

Do total de eleitores, quase 13 milhões estão aptos a votar pelo sistema biométrico, por meio do qual são identificadas as impressões digitais.

Justificativa
Os eleitores com títulos registrados nessas 57 cidades nas quais há segundo turno que não conseguiram votar nem justificar a ausência no primeiro turno podem votar normalmente neste domingo.

Caso o eleitor esteja fora de sua cidade neste domingo, poderá justificar a ausência em postos da Justiça Eleitoral instalados nos municípios para a justificativa.

Se o eleitor não puder apresentar a justificativa neste domingo, deverá fazer isso até 29 de dezembro para ficar em dia com a Justiça Eleitoral.

Segurança
De acordo com o TSE, 12 cidades em cinco estados receberam apoio da Força Nacional de Segurança e das Forças Armadas para garantir a segurança e a logística da eleição. O efetivo de militares, informou o tribunal, é de cerca de 13 mil militares.


  • por
  • Jornal Regional



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook