CONMEBOL nega pedido do Grêmio e confirma River na final da Libertadores

Mesmo Gallardo tendo admitido a infração, Conmebol decidiu não punir o River Plate

Mesmo Gallardo tendo admitido a infração, Conmebol decidiu não punir o River Plate

03/11/2018 - 21h06

A Conmebol negou pedido do Grêmio e confirmou River Plate e Boca Juniors na final da Libertadores, em decisão divulgada neste sábado. Foi definida multa de US$ 50 mil ao técnico Marcelo Gallardo e suspensão de três partidas como punição por passar instruções a campo e entrar no vestiário enquanto estava suspendo na partida semifinal da competição, na última terça-feira.

O sábado foi consumido por expectativa e tensão para dirigentes, jogadores, técnico e torcida do Grêmio. O julgamento da Conmebol sobre o comportamento irregular do técnico Marcelo Gallardo na semifinal da Libertadores deveria ser divulgado ao longo do dia, mas às 21h seguia o mistério sobre a manutenção do River Plate na final da competição, ou a perda de pontos em favor do Grêmio.

Pela manhã, os jornais e sites da Argentina manifestavam confiança numa decisão favorável ao clube de Buenos Aires. Destacavam Gallardo enfatizando "não ter dúvida" que o River estaria na final. Mas também, mais tarde, Renato Portaluppi cobrou credibilidade e o Grêmio na decisão. A direção do Tricolor se mantinha confiante e a demora fazia aumentar a esperança numa decisão a favor do clube.

Uma possível manifestação no começo da tarde não veio e, ao mesmo tempo, as luzes no andar da área jurídica seguiam ligadas no prédio da entidade sul-americana em Luque, no Paraguai. Apagaram-se por volta das 20h, exatamente quando começava o jogo do Boca Juniors contra o Tigre e logo após o termino do confronto do River Plate, em derrota para o Estudiantes e depois da vitória do Grêmio sobre o Atlético-MG.

Às 20h40min, depois de horas de silêncio, finalmente foi feito um anúncio de que o resultado da ação gremista teria sua resolução em 15 a 20 minutos. Às 21h, a decisão: multa para o treinador argentino e manutenção do  resultado da partida semifinal. 

Mais uma vez a Conmebol contraria os interesses dos brasileiros. Em julgamentos anteriores, foi rigorosa em suas decisões contra a Chapecoense e Santos. Prova inequívoca de tem sido parcial em suas decisões em favor dos argentinos. Sinal evidente da falta de força da CBF na entidade. E enquanto os clubes não se aliarem e assumirem uma enérgica posição, as decisões serão contrárias aos interesses dos brasileiros.


  • por
  • Jornal Regional
  • FONTE
  • CP



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook

banner responsivo
banner responsivo

SIGA-NOS