Em SC, 950 mil pessoas foram vacinadas contra gripe desde o início da campanha

15/05/2018 - 01h07

Em Santa Catarina, 953.611 pessoas foram vacinadas contra a gripe desde o início da campanha, divulgou a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) nesta segunda-feira (14). O órgão, porém, alerta que a procura por parte das crianças e grávidas está baixa.

A campanha de vacinação, iniciada em 23 de abril, vai até 1º de junho.

Os grupos que mais se vacinaram até agora foram os idosos (68,74%) e as mães que deram à luz há menos de 45 dias (60%). Os que menos buscaram a vacina foram as crianças (37,4%) e grávidas (34%).

Em Santa Catarina, 1.844.225 pessoas formam o grupo prioritário. A meta do Ministério da Saúde é imunizar 90% desse conjunto. No sábado (12), ocorreu o Dia D da vacinação contra a doença.

Casos e mortes

No estado, 52 pessoas contraíram gripe A ou B em Santa Catarina em 2018, segundo boletim da Dive divulgado na quinta. Quatro pacientes morreram: dois na capital, um em São José, na Grande Florianópolis, e um em Jaraguá do Sul, no Norte.

Público-alvo

Devem procurar a vacina nos postos de saúde até 1º de junho os seguintes grupos:

- crianças de 6 meses a 5 anos de idade

- gestantes

- mães até 45 dias após o parto

- idosos de 60 anos ou mais

- profissionais da saúde

- indígenas

- pessoas com doenças crônicas

- funcionários do sistema prisional e presos

- professores da rede pública e privada

Prevenção

Além da vacina, a Dive recomenda as seguintes medidas para prevenir a gripe:

- lavar as mãos com frequência, principalmente antes de comer;

- ao tossir ou espirrar, proteger o rosto com um lenço ou com o antebraço;

- evitar tocar olhos, nariz e boca;

- higienizar as mãos após tossir ou espirrar;

- não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;

- manter os ambientes bem ventilados;

- evitar o contato próximo com pessoas que apresentem os sintomas da gripe.

Gripe

A gripe é transmitida pelo vírus Influenza a partir de secreções respiratórias. Ele pode sobreviver por minutos no ambiente, especialmente em superfícies que são tocadas frequentemente, conforme a Dive.

Os sintomas iniciais são:

- febre alta;

- dor muscular;

- dor de garganta;

- dor de cabeça;

- tosse seca;

- febre - que persiste por cerca de três dias.

Caso a pessoa apresente esses sintomas, a Dive recomenda:

- procurar imediatamente um serviço de saúde;

- após o início do tratamento, evitar sair de casa no período de transmissão da doença (até 7 dias após o início dos sintomas);

- evitar aglomerações e ambientes fechados, procurando manter os ambientes ventilados;

- adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos.


  • por
  • Jornal Regional



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook

banner responsivo
banner responsivo

SIGA-NOS