Ex-atleta olímpica Laís Souza profere palestra quinta em São Miguel do Oeste

Laís vai relatar sua história de determinação e perseverança

Laís vai relatar sua história de determinação e perseverança

13/05/2018 - 10h09

A ex-ginasta olímpica LaÍs Souza irá ministrar uma palestra no Centro Cultural da Unoesc, em São Miguel do Oeste, na próxima quinta-feira, dia 17 de maio, a partir das 19h30, tendo como tema "Códigos de Superação", Lais fala sobre sua vida, carreira, o acidente que a deixou tetraplégica e a batalha que enfrenta todos os dias em busca de uma qualidade de vida melhor. 

Os ingressos são limitados e podem ser adquiridos na Livraria Objetiva, San Willa's Hotel, Tecnotel Telecomunicação e Segurança. Também é possível comprar as entradas pelo site: https://jdoconsultoria_lais_souza.eventbrite.com.br

Lais Souza tem 27 anos e atuou na Seleção Brasileira de Ginástica Artística por muito tempo. A ginasta participou de duas edições das Olimpíadas, em Atenas (2004) e Pequim (2008). Em 2013, aos 25 anos, conquistou uma vaga para representar o Brasil nas Olimpíadas de Inverno, na Rússia. Porém em um treinamento no dia 27 de janeiro de 2014, Lais sofreu um acidente e lesionou a coluna.

Ela passou seis meses no hospital e até hoje está em recuperação. A luta diária para reabilitar-se e o foco nos objetivos faz com que ela seja considerada um exemplo de superação. No mês de junho de 2017, com a ajuda de um estabilizador cervical, Laís conseguiu ficar de pé pela primeira vez desde o acidente. Hoje, ela viaja o país levando sua história de determinação, motivação e perseverança aos palcos de todo o país.

UM POUCO DA HISTÓRIA DE LAÍS

Lais Souza foi uma importante atleta brasileira que, após um complicado acidente, se tornou ícone de superação, força de vontade e esperança.

Começou na ginástica aos quatro anos de idade e integrou a equipe brasileira de ginástica até 2013. Com boas conquistas nacionais e internacionais como júnior, ela fez parte da seleção que disputou os Jogos Pan-americanos de Santo Domingo, nos quais conquistou o quarto lugar no salto e o terceiro por equipes. No mesmo ano, participando do Campeonato Mundial de Anaheim, que serviria de classificação para os Jogos Olímpicos de Atenas, atingiu o oitavo lugar por equipes.

Em 2004, em sua primeira participação olímpica, em Atenas, a ginasta conquistou a melhor posição brasileira na classificação por equipes, o nono lugar geral. No ano posterior, em etapa de Copa do Mundo, terminou com a medalha de prata na prova de salto. No Campeonato Nacional Brasileiro do mesmo ano, terminou com o ouro no salto e na trave. Continuando com os bons resultados, a ginasta participou da Copa América, terminando em quarto no concurso geral. Em 2006, no Campeonato Mundial de Aarhus, conquistou o sétimo lugar por equipes, e o quarto no salto. Lais participou dos Jogos Pan-americanos de 2007, no Rio de Janeiro, e os Jogos Olímpicos de Pequim, ao lado de Jade Barbosa, Daiane dos Santos, Daniele Hypolito, Ana Silva e Ethiene Franco, conquistando a melhor colocação brasileira nos Jogos, a oitava geral.

Os Jogos Olímpicos de Inverno e o Acidente

Desde 2013, Laís começou a treinar esqui aéreo e conseguiu vaga para disputar os Jogos Olímpicos de Inverno de 2014. Durante treinamentos nos Estados Unidos, sofreu um acidente em 28 de janeiro de 2014 que causou uma torção na coluna cervical a deixando tetraplégica. Após passar por cirurgia, Lais começou um longo tratamento para recuperar os movimentos. Ela se submeteu a um tratamento com células-tronco pelo Miami Project to Cure Paralysis (Projeto Miami para curar paralisia) e tem apresentado alguma sensibilidade em partes dos pés e das pernas.

No mês de junho de 2017, com a ajuda de um estabilizador cervical, Laís conseguiu ficar de pé pela primeira vez desde o acidente. Hoje, ela viaja o país levando sua história de determinação, motivação e perseverança aos palcos de todo o país.


  • por
  • Jornal Regional



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook