Vereador do PP, Carlos Grassi, é afastado da CPI da Câmara por decisão judicial

Carlos Grassi pode responder por improbidade administrativa, anuncia o MP

Carlos Grassi pode responder por improbidade administrativa, anuncia o MP

06/04/2019 - 02h11

O vereador do Partido Progressista (PP), Carlos Grassi, foi afastado da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apura supostas irregularidades envolvendo vereadores na Câmara de São Miguel do Oeste. A decisão cautelar foi proferida em ação criminal movida pelo Ministério Público. A decisão partiu da juíza Aline Mendes De Godoy. Grassi inclusive está proibido de se aproximar de sua ex-assessora.

A medida preventiva da Justiça atende a um pedido de liminar apresentado pelo Ministério Público em uma ação criminal ajuizada contra os vereadores Carlos Grassi (PP) e Odemar Marques (PDT) por corrupção passiva. Segundo a acusação, o dois teriam utilizados os serviços das assessoras parlamentares em atividades particulares. O MP alega que, além do trabalho na Câmara de Vereadores, elas também prestaram serviços particulares, numa confecção de um deles e na casa, de outro. 

O vereador Odemar Marques chegou a ser afastado do cargo por ameaçar testemunhas e servidores da casa, mas a medida cautelar acbou revogada a pedido do Ministério Público. Já Carlos Grassi foi afastado apenas da CPI que investiga as supostas irregularidades. Ele pode recorrer da determinação judicial. Os dois edis foram denunciados por corrupção passiva e, em caso de condenação, podem ser sentenciados a penas que podem variar de 2 a 12 anos de prisão. O mérito da ação ainda não foi apreciado pela Justiça.

Além da ação criminal, o Ministério Público de São Miguel do Oeste vai ajuizar, nos próximos dias, uma ação de improbidade administrativa contra os dois. Por isso correm o risco de perder a função pública e ter os diretos políticos suspensos.

A assessoria de Carlos Grassi informa que o vereador e o Partido Progressista devem se manifestar na semana que vem em entrevista coletiva à imprensa. 


  • por
  • Jornal Regional
  • FONTE
  • JRTV



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook