Bolsonaro faz exames em hospital e cancela reuniões após dores abdominais

Bolsonaro em foto da última segunda-feira, dia 12, durante entrevista à imprensa (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

Bolsonaro em foto da última segunda-feira, dia 12, durante entrevista à imprensa (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

14/07/2021 - 11h44

O presidente Jair Bolsonaro deu entrada na manhã desta quarta-feira, dia 14, no Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília. Segundo fontes do Palácio do Planalto, ele sentiu dores abdominais durante à noite e passa por exames.

Com a ida de Bolsonaro ao HFA, a reunião entre os presidentes dos poderes Judiciário, Executivo e Legislativom que aconteceria nesta quarta-feira, foi cancelada. O encontro deve ser reagendado.

Bolsonaro vem sofrendo com crises de soluços desde a última semana. Segundo fontes, o presidente passa bem. Também é avaliada a possibilidade da realização de um cirurgia nos próximos meses para a retirada de uma hérnia na região abdominal.

A agenda da manhã previa, às 11 horas, um encontro com os presidentes do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux. A reunião foi definida no início da semana, com o objetivo de apaziguar o ambiente entre os poderes da República.

Soluço persistente

De acordo com o próprio Bolsonaro, o problema pode ter relação com medicamentos que precisou tomar por causa de uma cirurgia para implante dentário. Na quinta-feira, dia 8, o presidente afirmou: "Estou há uma semana com soluço, talvez não consiga me expressar bem nessa live".

Na noite desta terça-feira, dia 13, em conversa com apoiadores, ele voltou a falar do assunto: "Pessoal, eu estou sem voz, pessoal. Se eu começar a falar muito, volta a crise de soluço. Já voltou o soluço".

O que dizem especialistas

O médico Flavio Quilici, professor de gastrenterologia da PUC Campinas, explica que, além de rara, a situação é muito incômoda e tem relação com o diafragma, um dos músculos principais na respiração.

“Você lembra do músculo que tem entre o tórax e o abdômen, que é o diafragma. Quando esse diafragma descontrai, isso faz com que você jogue o ar para cima e a glote, que é a passagem que abre para o estômago ou para o pulmão, ela fecha, e faz aquele barulho bem característico”, explica.

Quilici diz que o soluço é comum, sempre por uma irritação da enervação que passa pelo diafragma. No entanto, a permanência do incômodo por vários dias é bem rara.

“E raríssimas vezes isso persiste por mais de 48 horas, que se caracteriza como uma síndrome do soluço persistente, podemos dizer assim. Dez dias é bastante”, segundo o médico, é possível que a cirurgia de Bolsonaro pode sim estar relacionada com os soluços.

Segundo Maíra Marzinotto, gastroenterologista do Centro Especializado em Aparelho Digestivo do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, qualquer irritação próxima ao diafragma pode causar soluço.

No caso do presidente Jair Bolsonaro, a cirurgia para implante dentário pode estar relacionado com os soluços, uma vez que o nervo vago possui ramificações que vão do canal auditivo até o diafragma.

“Não é todo mundo que tem problema no nervo vago que vai desenvolver uma crise de soluço, mas pode acontecer”, afirma Marzinotto.

Alguns medicamentos, segundo ela, também podem ocasionar uma crise de soluços. “Existem alguns medicamentos que podem causar soluços, principalmente alguns anestésicos. Contudo, são anestésicos mais fortes, utilizados em cirurgia geral, e não em cirurgia local, com os procedimentos dentários”, explica a especialista.

Opções de tratamento

Maíra lembra que para tratar o problema existem alguns medicamentos de uso controlado e vendidos sob prescrição médica que podem ser utilizados. Maíra, contudo, defende que a melhor forma de se tratar o soluço é tratando sua origem. “O ideal é sempre procurar a causa do soluço porque utilizar uma medicação para controlar o soluço é medicar uma consequência, assim o problema vai persistir”.

>>>PARTICIPE DO GRUPO DE NOTÍCIAS NO WHATSAPP. 


  • por
  • Jornal Regional



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook