BOLA EM JOGO: Vitória em Grenal é fruto da competência em campo

13/05/2021 - 23h09


A gangorra envolvendo a dupla Grenal é algo fantástico. Essa rivalidade que já dura mais de um centário, volta e meia nos reserva surpresas e nos faz mudar conceitos. Até a semana passada, o Inter empilhava goleadas. Sobravam elogios e o time de Ramirez apontado como favorito ao título do Gauchão deste ano. Foi só perder para o Deportivo Taschira que retornaram com muita força as críticas ao treinador. 

O que vinha sendo exageradamente elogiado, passou a ser questionado. De tal sorte, que de uma hora para outra o favoritismo no Grenal do próximo domingo mudou de lado, passando para o time da Arena do bairro Humaitá. Não que isso represente alguma vantagem ou que possa determinar o vencedor. Tudo não passa de folclore. A história nos ensina que vence o clássico, quem for mais competente. Ter o dominio das ações pouco ou nada representa, se essa supremacia não for transformada em gols.

No Grenal da fase de classificação, o Inter chegou a ter mais de 70% de posse de bola. Entretanto, pouco ou quase nada criou lá na frente. Já o Grêmio foi cirúrgico. Fechou a casinha e jogou por uma bola. Venceu por 1 a 0 num golaço de Léo Chú. Tudo o resto virou chororô. 

Falhas defensivas

Na derrota colorada para o Taschira sobraram desculpas. Para uns foi o gramado muito alto. Não faltou quem atribuisse o péssimo resultado ao consaço. A verdade, porém, é que o Inter jogou muito pouco e pagou caro por duas falhas de sua defesa, cada vez mais questionada. 

Insistência equivocada

O colorado dos pampas investiu pesado para trazer Tayson. Mas será que o problema era mesmo no ataque, onde o técnico Ramirez nem sabe como utilizar a fartura de muito bons atacantes. De tal modo que nos últimos jogos sequer relacionou Guerrero, um dos melhores centroavantes em atividade no continente. Por si só ele se impõe. Mas não, o treinador insiste em apostar sua fichas em Marcos Guilherme, que os próprios torcedores classificam de "peladeiro". 

Melhor ataque colorado

O time vinha certinho, amontoando gols. Só que para justificar o investimento, Ramirez tem que colocar em campo o Palácios, que até agora não disse a que veio. Até o mais leigo colorado sabe que a melhor formação do ataque é Caio Vidal, Yuri Alberto e Patrick. Um ataque que reúne o essencial: técnica, habilidade e velocidade. 

Enquanto no vestiário vermelho cresceram as dúvidas, na Arena do bairro Humaitá o tricolor navega em águas calmas. Nesta quinta (13) o time engatou sua quinta vitória consecutiva desde que Tiago Nunes assumiu o comando técnico, vencendo o Lanús por 3 a 1 e praticamente garantindo sua presença na próxima etapa da Sul-Americana. 

Volante estilo xerifão

O time tricolor vem numa ascendente. Mesmo sem alguns jogadores importantes, está correspondendo as expectativas. É inegável que as presenças de Brenno, Rafinha, Geromel e Thiago Santos acrescentaram muita qualidade. Com o volante estilo "xerifão" recém contratado, cresceu o futebol de Matheus Henrique e Jean Pyerre. 

Como parar Ferreirinha

Mas quem realmente está fazendo a diferença no Grêmio é Ferreirinha. Simplesmente imparável. E esse passa a ser o maior desafio do Inter no primeiro Grenal das finais. Como parar o atacante? Todos no Beira Rio sabem que se o Ferreirinha conseguir jogar, as coisas tendem a ficar bem complicadas. 

Nem sempre o melhor vence

Minha experiência em futebol  me ensina a ser cauteloso. Como já coloquei, nem sempre o melhor sai vitorioso. E é esse tempero que faz do Grenal um dos maiores clássicos do planeta. E como sempre faço, torço para que Grêmio e Inter nos brindem com um belo espetáculo. O grande vencedor será, sem dúvida, o futebol. 

>>>PARTICIPE DO GRUPO DE NOTÍCIAS NO WHATSAPP. 


  • por
  • Jornal Regional
  • FONTE
  • JRTV/Jornal Regional



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook