BRASILEIRÃO 2020: Derrota da arbitragem

Trabalho de Wilton Pereira Sampaio no confronto entre Inter e Corinthians recebeu sérias críticas

Trabalho de Wilton Pereira Sampaio no confronto entre Inter e Corinthians recebeu sérias críticas

27/02/2021 - 16h16

Por Sergio Wathier
JRTV - São Miguel do Oeste

A grande derrotada do Campeonato Brasileiro de 2020 foi, sem dúvida, a arbitragem. Sob o comando do gaúcho Leonardo Caciba, o trabalho em geral de juizada foi um desastre. Mal preparados tecnica e fisicamente. Erros gritantes de posicionamento. Não raras vezes as partidas tiveram que ser interrompidas por que os homens do apito interferiram diretamente nas jogadas. Os auxiliares, da forma como a coisa foi conduzida, foram transformados em meros expectadores. Praticamente tudo que marcavam, era revisto pelo VAR. Hoje para você entender um jogo de futebol, deve primeiro fazer um curso. Cada árbitro faz suas regras. Erros gravíssimos mudaram a história de inúmeras partidas. E, consequentemente, interferiram no resultado do campeonato. Não que tenham prejudicado este ou aquele clube intencionalmente. Mas sim porque são ruins mesmos. A verdade é que o mesmo pau que bateu em Chico, bateu em José. A questão que mais deu o que falar foram os pênaltis originados da bola na mão. Uns marcaram. Outros não. Pior é aqueles que sinalizaram a marca da cal e depois voltaram atrás. Falta de convicção? Sei lá! 

VAR x Regras

Antes da implantação do árbitro de vídeo, as regras de futebol eram claras. Hoje virou uma tremenda bagunça. Ninguém mais sabe o que é certou ou errado. Mas, pelo menos pra mim, o grande problema é a intromissão do VAR. O árbitro de vídeo, que deveria atuar somente quando o juiz solicitar para tirar uma dúvida ou quando ocorrer uma infração sem bola, intervém a todo momento. E o que é pior: normalmente com grande demora para decidir o que é certo ou errado. Uma pergunta que o torcedor corriqueiramente faz, é em relação as linhas de impedimento: Quem garante que estão corretas? O computador ou o sujeito que manuseia a máquina? Os narradores estão mais perdidos do que cego em tiroteio. Já nem sabem mais quando devem ou não gritar num gol. Em situações normais, de gols legítimos e sob os quais não pairam qualquer dúvida, entra o VAR. Mas pra quê? Com o árbitro de vídeo, aquela máxima do futebol de que "a regra é clara" não existe mais. A verdade é que está chato assistir futebol. 

>>>PARTICIPE DO GRUPO DE NOTÍCIAS NO WHATSAPP. 


  • por
  • Jornal Regional
  • FONTE
  • JRTV/Jornal Regional



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook