Cinco réus presos vão a júri por execução de advogado em Guaraciaba

Processo tramita no fórum da comarca de São Miguel do Oeste.

Processo tramita no fórum da comarca de São Miguel do Oeste.

12/06/2019 - 17h12

Acompanhando a premissa de agilidade do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, a Vara Criminal da comarca de São Miguel do Oeste agendou para 01 julho de 2019 o julgamento dos quatro acusados pela morte de Joacir Montagna, ocorrido em Guaraciaba, no dia 13 de agosto de 2018. Um quinto acusado vai a julgamento por crime conexo de porte de arma de fogo e associação criminosa. A vítima era servidor da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (cedido para trabalhar na antiga Agência de Desenvolvimento Regional de São Miguel do Oeste) e exercia advocacia.

Em virtude das limitações de ordem física do salão do Tribunal do Júri do fórum da comarca, a sessão de julgamento ocorrerá na Câmara Municipal de Vereadores de São Miguel do Oeste. Os trabalhos terão início as 9h e devem se estender por mais de um dia por conta da complexidade do processo.

Três irmãos respondem por homicídio qualificado (duplamente), adulteração de sinal identificador de veículo automotor e associação criminosa. O tio deles é acusado de associação criminosa e porte ilegal de arma de fogo de uso permitido. Já um quinto acusado será julgado por homicídio qualificado (duplamente), adulteração de sinal identificador de veículo automotor e porte ilegal de arma de fogo de uso permitido.

De acordo com a denúncia, no dia 13 de agosto de 2018, dois acusados saíram de carro de Chapecó para Guaraciaba. Um terceiro  foi de motocicleta cuja placa era clonada e o número do motor adulterado. Nas proximidades do trevo de Guaraciaba, o executor embarcou na moto e os dois foram até o escritório da vítima. Sem retirar o capacete, ele teria anunciado um “assalto” para as funcionárias do escritório e pedido para levá-lo ao "doutor". Quando Joacir Montagna se abaixou atrás da mesa de trabalho, em menção de pegar o dinheiro, o acusado teria atirado acertando a cabeça da vítima.

Sem levar nada, os acusados teriam fugido de motocicleta, a qual teria sido abandonada no interior do município de Guaraciaba. Depois, eles teriam voltado de carro para Chapecó. Os cinco acusados foram presos preventivamente no decorrer das investigações. A motivação do crime está sendo investigada pela Polícia Civil em outro inquérito que tramita em segredo de justiça.


  • por
  • Jornal Regional



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook

Website Security Test