Experiências e encantos do extremo oeste catarinense
Projetos do Sebrae/SC preparam empresas para receber com excelência visitantes internacionais.

07/03/2020 - 13h03

O turismo tem um crescimento mundial de 3,9%, com a contribuição de 10,4% no Produto Interno Bruno (PIB) global o que corresponde a US$ 8,8 bilhões, além de gerar um de cada dez novos empregos no ano. No Brasil o segmento cresce em média 3,1% ao ano, com a participação de 8,1% no PIB brasileiro, o que representa US$ 152,5 bilhões. Gera 7,5% dos empregos no País, ou seja, 6,9 milhões de novas vagas. Em Santa Catarina o turismo representa 12,5% do PIB estadual e emprega aproximadamente 127 mil pessoas.

Para abordar as potencialidades turísticas da região extremo oeste catarinense e apresentar os resultados dos projetos desenvolvidos foi realizada, nesta semana, reunião técnica no Termas São João, no município de São João do Oeste. Participaram o diretor técnico do Sebrae/SC Luc Pinheiro, prefeitos, secretários, agentes de desenvolvimento local, membros dos conselhos municipais de turismo, representantes de entidades empresarias e da AMEOSC e AMERIOS.

O objetivo do encontro foi apresentar as iniciativas desenvolvidas da região do extremo oeste, tanto por projetos de turismo quanto pelo Programa Cidade Empreendedora, para buscar a articulação institucional e a elaboração técnica para a continuidade dessas iniciativas. Conforme o diretor técnico, o Sebrae é defensor do fortalecimento do turismo, por isso desenvolve e acompanha projetos que visam contribuir com o surgimento de novas empresas e para o crescimento dos negócios.

Luc Pinheiro alertou que Medida Provisória encaminhada ao Congresso prevê a utilização de recursos do Sebrae para a Criação da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (nova Embratur). Essa medida, se aprovada, resultará na redução do orçamento do Sebrae em 18,8%, ou seja, um corte anual de R$ 18 milhões para o Estado”, argumentou Pinheiro.

POTENCIAL

Dados da Polícia Federal revelam que – na fronteira Brasil e Argentina - a Aduana Brasileira em Dionísio Cerqueira registou o ingresso de 41.764 pessoas no mês de janeiro deste ano. Pela Aduana Brasileira em Paraíso passaram, no mesmo período, 29.113 turistas.

Ao analisar as possibilidades do setor, considerando o município de Paraíso que possui 3.763 habitantes, e considerar o consumo local de R$ 50 para 10% desses turistas estrangeiros, o incremento na economia do município seria de R$ 3.866,00 per capita.

“Com esse potencial precisamos desenvolver estratégias para atrair esses visitantes para a nossa região e por isso iniciamos um trabalho de base com as empresas para que estejam preparadas para receber esse público”, enalteceu a consultora credenciada ao Sebrae/SC, Traute Limberger.

Aliado a esse fluxo de visitantes pesquisas apontam os principais segmentos de demandas dos clientes das agências de viagens que são: cultura e patrimônio histórico (15,3%), negócios e trabalho (9,9%), natureza e ecoturismo (9%), turismo de aventura (3,3%) e turismo religioso (3,2%). “Todos esses setores podem ser potencializados no extremo oeste. Outro dado importante é que para gerar um emprego formal na industrial convencional é necessário o investimento público e privado de R$ 1 milhão, enquanto que para o turismo precisa-se de R$ 75 mil, o que reflete em uma economia de R$ 925 mil nos investimentos”, analisou.

Para o prefeito de Anchieta, Ivan José Canci, o turismo é essencial para desenvolver a economia da região, de integrar as atividades econômicas existentes seja no campo da agroindústria, da indústria e do comércio em uma nova atividade que passa pela cultura, pela história e pela natureza. “Investir no turismo é uma oportunidade de desenvolver de forma equilibrada e sustentável os municípios. Contudo, isso se concretizará se os munícipes compreenderem isso e dirigirem seu olhar para além do que sempre foi feito e esse é o desafio”, enfatizou.

O prefeito de Tunápolis, Renato Paulata, destacou que o turismo além de trazer um dinheiro novo, motiva os munícipes locais a ampliarem sua produção e a embelezarem suas residências, que resulta em realização e felicidade. “Estamos no início das atividades no município, porém essa parceria com o Sebrae/SC é fundamental e seria difícil pensar no que realizamos nesses três anos se não tivéssemos esse suporte. A consultoria motiva, fomenta e sensibiliza os empresários sobre a importância de desenvolver atividades turísticas. Mesmo ao ter atividades isoladas realizadas há mais tempo, ao estruturar por um conselho ou um plano estratégico, os resultados terão mais impactos e com resultados ampliados”.  

ATIVIDADES

As atividades dos programas incluíram o inventário e diagnóstico turístico; sensibilização dos empresários; seminários de planejamento; consultoria do departamento de turismo; reestruturação dos Conselhos Municipais de Turismo; estruturação da documentação para o mapa turístico nacional do Ministério do Turismo (MTUR) e o Cadastur.

O foco foi o trabalho de base no turismo dentro das empresas, com consultora de adequação ao produto turístico para atender esse público diferenciado, extremamente exigente e com muitas expectativas. “Estimulados as empresas para as melhorias e as adequações necessárias em sua gestão com a implantação de várias metodologias”, destacou Traute.

Na região extremo oeste foram atendidas pelo 81 empresas de seis municípios: Anchieta (23), Dionísio Cerqueira (17), Paraíso (13), Santa Helena (11), Iporã do Oeste (9) e Tunápolis (8). Também foram contempladas com consultorias empresas de Caibi, Campo Erê, Itapiranga, Maravilha e São João do Oeste. 

>>>Clique e receba notícias do JRTV Jornal Regional diariamente em seu WhatsApp.





DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook