Na hora mais decisiva, Inter vacila e a taça fica com o Flamengo

Yuri Alberto, destaque do ataque colorado

Yuri Alberto, destaque do ataque colorado

26/02/2021 - 08h54

Por Sergio Wathier
JRTV - São Miguel do Oeste 

Abel Braga levou a melhor sobre Rogério Ceni e foi escolhido o técnico do ano. O treinador do Inter fez mais com menos. Ceni fez um brilhante trabalho no Fortaleza, mas demorou para engrenar no Flamengo. Quando parou de inventar, escalando os melhores, o rubro-negro carioca deslanchou, numa arrancada sensacional que culminou no título. 

O Inter, por sua vez, merece uma análise em particular. Afinal, para uma equipe que segundo projetavam os próprios torcedores vermelhos, se escapasse do rebaixamento já estaria de bom tamanho, brigar pela taça de campeão até a última rodada foi digno de elogios, a ponto de devolver a autoestima e fazer crescer o orgulho da nação colorada. Esse sim é o Inter que seu torcedor quer ver. Faltou-lhe futebol em muitos momentos. Mas sobrou vontade e doação ao time.  Com Saravia, Moledo, Boschilla e Guerrero, a tendência é deste time crescer ainda mais de rendimento. 

Crueldade do VAR 

O time tecnicamente está distante daqueles que foram campeões em 75, 76 e 79. Mas sob o comando de um estrategista, mostrou virtudes que lhe renderam muitas rodadas na ponta da tabela. E só não foi campeão por obra do destino. O Inter, na verdade, deu tudo o que tinha, mas não foi suficiente para levantar a taça. E desta vez o VAR foi cruel, anulando dois gols da equipe colorada. O juiz deixou o gramado sob fortes protestos dos dirigentes do Inter, por ter sonegado um pênalti, ainda no primeiro tempo. 

Ceni na corda bamba

Apesar do titulo, a torcida pede a saída de Rogério Ceni. Na partida desta quinta contra o São Paulo, ele mostrou mais uma vez sua incapacidade de mudar a história de uma partida. O Flamengo teve mais posse de bola. Entretanto, foi um domínio infrutífero, de tal sorte que o goleiro Tiago Volpi não fez nenhuma defesa importante durante toda a partida. Em resumo, a relação Ceni e torcida não deu química. E ontem o técnico foi protagonista de uma cena hilariante, quando abandonou a área técnica para dar uma da gandula. Era o desespero tomando conta.

Falhas do goleiro

Com Gerson bem marcado por Daniel Alves e Arascaeta e Everton Ribeiro escondidos em campo, o Fla pouco criou na frente. Porém o que mais me chamou a atenção foi o desempenho do goleiro flamenguista. Um clube que gastou verdadeira fortuna para montar uma grande equipe, não pode ficar a marcê de um goleiro limitado como Hugo, que com duas falhas gritantes comprometeu o time na hora da decisão. Aliás, os erros do jovem goleiro tem sido recorrentes. E essas falhas só não pesaram porque o Inter não fez a sua parte.

Quem sofreu mais?

Na rodada decisiva de ontem (25), quem sofreu mais: colorados ou gremistas? Era final de partida, os nervos a flor da péle e na última volta do ponteiro, gol do Inter. Levou somente alguns segundos para que vários foguetes iluminassem o céu em São Miguel do Oeste. Era o gol do título. Mas o árbitro de vídeo anulou o gol de Edenilson e deu por encerrada a partida. Outra vez os foguetes voltaram a estourar. Só que desta vez eram os gremistas comemorando a desgraça do arquirrival. E essa gangorra prossegue no final de semana, com os papéis invertidos. Agora será a vez dos colorados secarem o Grêmio, na decisão da Copa do Brasil. E assim a vida segue para aqueles que fazem da dupla Grenal duas potências do futebol mundial. 

>>>PARTICIPE DO GRUPO DE NOTÍCIAS NO WHATSAPP. 


  • por
  • Jornal Regional
  • FONTE
  • JRTV/Jornal Regional



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook