PF diz que suspeito confessou assassinato de indigenista e jornalista no AM
'Remanescentes humanos' encontrados passarão por perícia em Brasília; Viúva lamenta desfecho trágico

'Remanescentes humanos' foram transportados no início da noite (Foto: Edmar Barros/AP)

'Remanescentes humanos' foram transportados no início da noite (Foto: Edmar Barros/AP)

16/06/2022 - 01h08

O superintendente da Polícia Federal (PF) no Amazonas, Alexandre Fontes, confirmou na noite desta quarta-feira (15), em uma entrevista à imprensa, que Amarildo da Costa Oliveira, conhecido como "Pelado", confessou ter assassinado o indigenista Bruno e o jornalista inglês Dom Phillips.

Os remanescentes humanos encontrados enterrados no local indicado por Amarildo serão encaminhados para perícia em Brasília. Confirmadas as identificações, serão entregues às respectivas famílias das vítimas.

Além de Amarildo, também está preso um irmão dele, Oseney da Costa de Oliveira, conhecido como "Dos Santos", mas, segundo a PF, ele não confessou envolvimento no caso. A participação no crime de uma terceira pessoa, citada por Amarildo, está sendo investigada e novas prisões não estão descartadas.

Desfecho trágico

A mulher do jornalista britânico Dom Phillips, Alessandra Sampaio, divulgou uma nota nesta quarta-feira (15) comentando a notícia da confissão de um dos suspeitos de matar seu marido e o indigenista Bruno Pereira em Atalaia do Norte, no Amazonas.

"Este desfecho trágico põe um fim à angústia de não saber o paradeiro de Dom e Bruno. Agora podemos levá-los para casa e nos despedir com amor. Hoje, se inicia também nossa jornada em busca por justiça. Espero que as investigações esgotem todas as possibilidades e tragam respostas definitivas, com todos os desdobramentos pertinentes, o mais rapidamente possível", disse a viúva do jornalista britânico.

>>>PARTICIPE DO GRUPO DE NOTÍCIAS NO WHATSAPP. 


  • por
  • Jornal Regional
  • FONTE
  • G1



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook