Prefeitos pedem apoio de governador e ministro para melhorias urgentes na BR 163

Em dia de neblina, situação de trafegabilidade na BR 163 fica ainda pior

Em dia de neblina, situação de trafegabilidade na BR 163 fica ainda pior

14/05/2021 - 22h09

Todos os dias, mais de sete mil veículos percorrem os cerca de 80 quilômetros da BR 163, trecho compreendido entre as cidades de São Miguel do Oeste e Dionísio Cerqueira, na fronteira de Santa Catarina com a Argentina. Fazem mais de duas décadas que o Extremo Oeste catarinense reclama por melhorias na rodovia federal. As obras até iniciaram, mas pararam e hoje a importante via de escoamento da produção agropecuária e industrial está em situação crítica. As crateras já tomaram conta da pista e o acostamento já faz tempo que nem existe mais. 

Mais de mil acidentes em sete anos

As más condições do asfalto transformou a BR 163 na rodovia da morte.  Números divulgados esta semana pela Associação dos Municípios do Extremo Oeste de SC (AMEOSC) apontam que nos últimos sete anos já foram registrados 1.076 acidentes, numa média de 180 por ano. “A região Extremo Oeste, a mais distante da capital do Estado, é a porta de entrada para o Mercosul, região que liga Santa Catarina ao Sudoeste do Paraná e ao centro do país, há anos aguarda a tão sonhada revitalização da rodovia", menciona o ofício encaminhado esta semana ao governador Carlos Moisés e ao ministro de Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas. No documento a região pede atenção especial do estado e do governo federal, no firme propósito de buscar uma solução definitiva para o problema.

Produção agropecuária

O Extremo Oeste de Santa Catarina tem uma forte produção agropecuária. A produção de leite de mais de 200 mil vacas alcança mais de 60 milhões de litros de leite mensais, correspondendo a mais de 22% da produção estadual. Já a produção anual de suínos atinge em torno de 13 milhões de animais, correspondendo a mais de 10% da produção estadual. Enquanto que a avicultura também é destaque, com produção anual de mais de 900 milhões de aves ano, correspondendo a 8% da produção estadual.

>>>PARTICIPE DO GRUPO DE NOTÍCIAS NO WHATSAPP. 


  • por
  • Jornal Regional
  • FONTE
  • AMEOSC



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook