Sebrae/SC: a força do empreendedor

Udo Martin Trennepohl, gerente regional do Sebrae/SC no oeste e no extremo oeste. Foto: Divulgação

Udo Martin Trennepohl, gerente regional do Sebrae/SC no oeste e no extremo oeste. Foto: Divulgação

01/06/2021 - 20h49

Deseja empreender, mas não sabe que caminhos percorrer? Tem uma ideia e precisa tirar ela do papel e saber se é viável? O segmento em que atua está em crise e precisa reinventar seu negócio? Deseja investir em inovação e transformação digital e necessita auxílio para definir as melhores estratégias? Sua empresa cresceu e requer aprimorar a gestão?

Para cada um desses questionamentos o Sebrae/SC tem uma solução. A instituição é reconhecida pela promoção do empreendedorismo e pelo desenvolvimento das pequenas empresas. Sua atuação é voltada a dois públicos: o empreendedor e a Administração Pública Municipal. No desenvolvimento territorial tem projetos estruturados desde 1984 em todas as regiões catarinenses, com metodologias reconhecidas internacionalmente.

Nesta entrevista o gerente regional do Sebrae/SC no oeste e no extremo oeste, Udo Martin Trennepohl, explica sobre alguns programas de ação prioritária em todo território catarinense.

Como o Sebrae/SC pode auxiliar o empresário que deseja inovar em seu segmento, mas possui recursos limitados para o investimento?

Trennepohl – Uma ótima opção é o Programa Brasil Mais, que busca aumentar a produtividade das empresas e ampliar a eficiência do setor produtivo e a competitividade do País. A iniciativa é uma parceria entre Sebrae, Ministério da Economia, Senai, Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade (SEPEC) e Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e é desenvolvido em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) para oferecer apoio técnico e consultoria para empresas brasileiras até dezembro de 2022. A meta em Santa Catarina é atender gratuitamente 13.200 empresas, entre micro e pequenos negócios dos setores do comércio e de serviços. A atuação do Sebrae no programa é para ajudar os empresários de pequenos negócios a aumentarem a produtividade e a competitividade das suas empresas. As inscrições estão abertas enquanto durar o projeto, que ocorre em ciclos de quatro meses. Com acompanhamento de Agentes Locais de Inovação (ALI) são realizadas melhorias em processos, marketing, modelos de negócios, práticas sustentáveis e digitalização.

E quem são os Agentes Locais de Inovação?

Trennepohl – Os Agentes Locais de Inovação são bolsistas pelo CNPq, selecionados pela Concepção Consultoria e capacitados pelo Sebrae/SC para serem facilitadores da gestão de inovação nos pequenos negócios, identificando necessidades e buscando soluções de acordo com as demandas de cada empresa atendida. A atuação desses profissionais busca promover a inovação para reduzir os custos, aprimorar processos, melhorar a capacidade de gestão e de produção a partir da instrumentalização e experimentação de ferramentas ágeis e do compartilhamento de experiências entre os empresários. As etapas da jornada compreendem problema, solução, implantação e avaliação. A metodologia utilizada foi estruturada para revolucionar o pequeno negócio por meio da inovação, para que os empresários possam gerar práticas bem-sucedidas de maneira sistemática, possibilitando o aumento na captura de valor, por meio da criação e da entrega de soluções inovadoras, de maneira acelerada.

Para as empresas que necessitem de suporte para desenvolverem tecnologias qual é a orientação?

Trennepohl – O programa de Consultoria de Inovação e Tecnologia do Sebrae (Sebraetec) oferece mais de 120 soluções que ajudam a empresa a simplificar, fazer melhor, mais rápido e com menor custo. A iniciativa visa fortalecer a competitividade dos pequenos negócios, estimulando a transferência de tecnologia entre instituições e empresas para que possam superar limitações e barreiras tecnológicas. Entre os benefícios do programa estão: conexão com a rede de prestadores de serviços tecnológicos especialistas nas necessidades dos pequenos negócios; acompanhamento do Sebrae/SC para assegurar os melhores resultados para empresa e atendimento aos pequenos negócios de todos os setores: indústria, agronegócio, comércio e serviços. O Sebrae subsidia até 70% da consultoria. Nas regiões oeste e extremo oeste temos excelentes cases, com resultados que os tornaram referência para o Estado.

O senhor enfatiza a importância de aprimoramento na gestão, mas para as empresas que desejam conquistar o mercado internacional o Sebrae/SC também pode apoiá-las?

Trennepohl – Sim, por meio do Go To Market, que é a união entre os programas Intercomp da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) e o SC + Global do Sebrae/SC. A intenção é auxiliar no aumento da competitividade e da presença global da empresa no mercado. O programa busca o fortalecimento da corrente internacional das pequenas empresas, que crescem cada dia mais para além das fronteiras brasileiras, participando ativamente do processo de internacionalização. A iniciativa oferece conteúdos voltados para importação, exportação, joint ventures, franquias, investimento direto e indireto. O principal objetivo é estruturar os pequenos negócios para que conquistem possibilidade reais de crescimento no mercado internacional.

Na esfera da Administração Municipal qual é a atuação da entidade?

Trennepohl – O Sebrae/SC e o Poder Público executam o Programa Cidade Empreendedora, que busca promover um ambiente de negócios para dinamizar a economia, gerar renda, emprego, arrecadação e produtividade. O ciclo 2021/2022 foi inspirado em cidades humanas, inteligentes e sustentáveis. Conta com cinco pilares de ação para que o município organize e impulsione o seu ambiente de negócio: liderança, desburocratização, Sala do Empreendedor, compras públicas e educação empreendedora. As estratégias do programa são pensadas para tornar os negócios locais mais competitivos e também para aproximar o setor empresarial da Administração Municipal, com simplificação de processos e capacitações para fortalecer os empreendedores.

Nas regiões oeste e extremo oeste quais municípios participam do Programa Cidade Empreendedora?

Trennepohl – Atualmente o programa está em andamento em 12 municípios: Caxambu do Sul, Faxinal dos Guedes, Galvão, Lajeado Grande, Lindóia do Sul, Maravilha, Marema, Pinhalzinho, São Carlos, São Domingos, Xanxerê e Xaxim. Outros seis municípios já aderiram, mas ainda aguardam para o início dos trabalhos, como: Caibi, Chapecó, Cordilheira Alta, Itapiranga, Palma Sola e Seara. Os municípios que tiverem interesse devem procurar uma unidade do Sebrae/SC. Nos municípios atendidos nos ciclos anteriores observamos diversos benefícios como: redução do tempo médio para abertura de novos negócios, fomento ao empreendedorismo, aprimoramento dos pequenos negócios locais, alinhamento da Lei de Liberdade Econômica, redução da burocracia, formação de lideranças mais eficazes e otimização do dinheiro público. 

>>>PARTICIPE DO GRUPO DE NOTÍCIAS NO WHATSAPP. 


  • por
  • Jornal Regional



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook