Usina vai gerar eletricidade a partir de dejetos suínos em Itapiranga

24/07/2019 - 07h31

Os dejetos de 23 mil suínos de 12 propriedades da comunidade de Santa Fé Baixa, em Itapiranga, serão a matéria-prima para a energia que será utilizada nas mesmas propriedades. Uma minicentral termoelétrica está sendo construída na comunidade, num investimento de R$ 15 milhões da Eletrosul, que vai receber o biogás produzido em 12 biodigestores. Para interligar o sistema serão 11 quilômetros de gasodutos.

De acordo com o diretor de engenharia da Eletrosul, Marcos Benedetti, serão instalados quatro geradores de 120 quilovats cada, que somados tem potencial suficiente para abastecer 700 residências. Inicialmente ela vai abastecer as 12 propriedades e, o excedente, será disponibilizado na rede geral durante o período de maior consumo, dando mais estabilidade ao sistema.

- Além de beneficiar o meio ambiente evitando a contaminação do solo o projeto ajuda a fixar os produtores no campo gerando uma renda extra, com a produção de energia. Os produtores vão se organizar num condomínio agroenergético para compensar o excedente e isso vai aliviar a rede nos momento de pico de consumo – disse Benedetti.

Ele destacou que essa é uma segunda etapa do projeto Alto Uruguai, que inicialmente implantou biodigestores com o objetivo de evitar a contaminação do solo, do lençol freático e também do ar. Inicialmente o gás metano, altamente poluente, era transformado em biogás e queimado, sendo usando pelos produtores para esquentar água ou para outras atividades.

Esse projeto teve o envolvimento da Prefeitura de Itapiranga, SC Gás e também de outros parceiros, como Universidade Federal de Santa Catarina, Universidade Federal de Santa Maria, Fundação Certi, Embrapa, Instituto de Tecnologia Aplicada, Fundação de Pesquisa Tecnológica Itaipu e Uirapuru Transmissora de Energia.

O coordenador estadual do Movimento dos Atingidos por Barragens, Pedro Melchiors, disse que a iniciativa partiu de uma discussão sobre fontes alternativas de geração de energia.

- Essa discussão começou num seminário em 2003, em Chapecó, e posteriormente foram instalados vários biodigestores na região, sendo dez na região de Santa Fé Baixa. Mas apenas eram os balões, que queimavam gás. Nós provocamos a Eletrosul para colocar uma central de geração de energia em 2009 e dez anos depois os recursos foram liberados através do projeto de Pesquisa e Desenvolvimento. Para nós é uma conquista essa geração alternativa de energia. É um projeto inédito que pode transformar uma comunidade autossuficiente na geração de energia– disse Melchiors.

O suinocultor Nilo Bourscheidt, que tem 600 matrizes reprodutoras e está ampliando a produção para 1,8 mil matrizes, disse que pretende economizar entre R$ 15 mil e R$ 20 mil na conta de energia.

- Nos últimos dez anos a gente já sentiu melhora na qualidade dos dejetos utilizados como fertilizante na lavoura, na diminuição de insetos. Agora estou ansioso com a central de energia pois poderemos nos tornar autossuficientes em energia. Isso é muito bom –disse Bourscheidt.

O modelo de Itapiranga deve servir de modelo para outras comunidades. Por isso também foram construídos mais dos biodigestores para pesquisar eficiência na produção de biogás. Também estão sendo testados materiais diferentes na central de energia, como aço inox, concreto e ardósia. A previsão é de inauguração em outubro.


  • por
  • Jornal Regional
  • FONTE
  • Darci Debona/NSC



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook

Website Security Test