VIVA BEM: Você sabe como interpretar as informações nas caixas de medicamentos?

Viviane Silva Floriano Costa – Farmacêutica

Viviane Silva Floriano Costa – Farmacêutica

07/06/2021 - 20h46

O consumo imprudente e descontrolado de medicamentos é um grande problema de saúde pública e um fator comum nos casos de intoxicação registradas no Brasil, sendo que no período de 2010 a 2017 foram notificados 564.271 casos no país. Esse ato é conhecido também como “consumo irracional de medicamentos”, não havendo recomendações de segurança pelos pacientes, seja por desconhecimento, automedicação ou falta de orientação de um profissional.

Mesmo que o medicamento seja de venda livre, não significa ser isento de riscos, podendo possuir efeitos colaterais se não utilizados corretamente. Portanto, para evitar riscos de intoxicação, deve-se ser orientado por um profissional e ter conhecimento das informações disponíveis nas caixas dos medicamentos.

Existem regulamentações que exigem cuidados especiais em suas embalagens, essas informações possuem a finalidade de orientar o consumidor/paciente, assim como contribuir para “o uso racional de medicamentos”, já que haverá esclarecimentos sobre os benefícios e riscos envolvidos, bem como os cuidados a serem tomados. Sendo então os seguintes dados presentes nas caixas de medicamentos:

-Nome do medicamento, substância ou princípio ativo e o mesmo escrito em braile;

-Identificação do fabricante como nome, endereço, CNPJ, local da empresa e fabricação;

-Dados de fabricação afim de ajudar no rastreamento: lote, data de fabricação, data de validade;

-Número de registro no ministério da saúde;

-Informações de dose, via de administração (oral, injetável, tópico), faixa etária (adulto, pediátrico);

-Nome do farmacêutico responsável;

-Telefone de Serviço de Atendimento ao Consumidor;

-Tarja do medicamento: Medicamentos de venda livre, vermelha, preta;

-Lacre de segurança, garantindo a inviolabilidade da embalagem;

-Selo de rastreabilidade;

-Quantidade de medicamento dentro da caixa;

-Cuidados de conservação como armazenamento, temperatura;

-Advertências e composições básicas do medicamento;

Portanto é de extrema importância saber analisar e interpretar as informações presentes nas embalagens de medicamentos, assim como ter orientações de um profissional para orientar o uso correto e diminuir os riscos de intoxicações. Lembre-se o Farmacêutico tem papel fundamental nesse cenário e poderá lhe ajudar!

>>>PARTICIPE DO GRUPO DE NOTÍCIAS NO WHATSAPP. 


  • por
  • Jornal Regional
  • FONTE
  • Hospital Regional Terezinha Gaio Basso de São Miguel do Oeste | Viviane Silva Floriano Costa – Farmacêutica - CRF 16914 | Diretora técnica - Katia Bugs – médica - CRM 10375 – Nefrologista - RQE 5333



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook

banner responsivo
banner responsivo

SIGA-NOS