BOLA EM JOGO: Vitória da raça colorada. Grêmio joga mal e perde a segunda

Foto: Ricardo Duarte / Inter / Divulgação / CP

Foto: Ricardo Duarte / Inter / Divulgação / CP

13/06/2021 - 23h23

Por Sergio Wathier
JRTV/São Miguel do Oeste

Foi no sufoco, mas o Inter atenuou um pouco a crise provocada pela eliminação da Copa do Brasil e que culminou com a demissão de Miguel Ángel Ramirez, vencendo o Bahia, fora de casa. A atuação colorada não foi brilhante, mas não faltou doação e pegada ao time. Mesmo quando ficou com um jogador a menos (novamente), o Inter conseguiu segurar o ímpeto baiano. São três pontos importantes, que vão dar novo clima ao vestiário vermelho. 

A expulsão de Lucas Ribeiro, aos 6min do segundo tempo, por muito pouco não comprometeu o resultado e escancar um problemão. Não sei o que precisa ser feito, mas é visível que os jovens não estão conseguindo segurar o rojão, principalmente no setor defensivo. Contra o Vitória, pela Copa do Brasil, a exclusão de Pedro Henrique foi fatal às pretensões coloradas. Menos mal que neste domingo as coisas deram certo.

Se vai ser com Osmar Loss no comando da casamata ou com outro treinador, aquele que assumir vai ter muito trabalho para arrumar o time. É visível que a equipe está desentrosada e os atletas visivelmente sem confiança. E esses atributos o time só vai atingir com a sequência de jogos.

Grêmio joga mal 

Já a Arena do bairro Humaitá foi sacudida por um furacão. O Athlético-PR  simplesmente não deixou o Grêmio jogar e aproveitando uma das poucas oportunidades que teve, fez um a zero e retornou à Curitiba com 3 preciosos pontos na bagagem. Já o tricolor gaúcho, para total desilusão dos gremistas, perdeu mais uma e ainda não pontuou no Brasileirão. Direção e comissão ténica pregaram que o Grêmio iria brigar pelo título, ao contrário de outros anos, quando decidiu priorizar as copas. Mas, por enquanto, essa promessa está só na teoria, porque na prática o time está se dando muito mal. E o que é pior, jogando um futebol muito abaixo do esperado. As mudanças introduzidas pelo técnico Tiago Nunes deram tudo errado. Rafinha não passou do meio de campo. Jonatha Robert, que substituiu Jean Pyerre, nada criou. E Luiz Fernando foi uma decepção. Até mesmo Diego Souza, que voltava depois da Covid, foi uma peça nula. Enfim, no próximo jogo quinta, contra o Sport, no Recife, o Grêmio já joga sob pressão. Ou ganha ou ata namoro de vez com a zona de rebaixamento. 

>>>PARTICIPE DO GRUPO DE NOTÍCIAS NO WHATSAPP. 


  • por
  • Jornal Regional
  • FONTE
  • JRTV/Jornal Regional



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook