Daniela Reinehr fala pela primeira vez como governadora interina de SC
Governadora em exercício afirma que assume o Estado diante de uma grave crise e que visa a recuperação econômica

Daniela Reinehr assume falando em recuperar a credibilidade de SC

Daniela Reinehr assume falando em recuperar a credibilidade de SC

27/10/2020 - 11h35

Na primeira coletiva como governadora em exercício do estado de Santa Catarina, Daniela Reinehr (sem partido) afirmou que o foco do novo governo será na economia. Para a chefe do Executivo estadual o principal ponto será “recuperar a credibilidade diante de investidores”.

Reinehr afirmou que assume Santa Catarina diante de uma crise sem precedentes, em um cenário pandêmico e com a economia fragilizada após o processo de impeachment diante do governador afastado Carlos Moisés da Silva (PSL).

Situação de Carlos Moisés

O governador Carlos Moisés (PSL) foi afastado do cargo, por até 180 dias, após o tribunal especial de julgamento ter aceitado, na madrugada de sexta (23) para sábado (24), o andamento do processo de impeachment. A decisão é referente ao caso de equiparação salarial dos procuradores.

Moisés também enfrenta um segundo pedido de impeachment, sobre a compra de respiradores da Veigamed, com pagamento antecipado.

Daniela tem agora plenos poderes de nomear a equipe de governo e gerenciar o orçamento do Estado.

Na manhã de segunda-feira (25), Moisés foi notificado sobre a decisão do tribunal de julgamento que o afastou do cargo. A notificação foi feita por um oficial de justiça na Casa d’ Agronômica, residência oficial do governador, em Florianópolis. Ele informou que continuará morando no imóvel.

Diferenças de Daniela para Moisés. A senhora considera justo o impeachment?

Não quero tomar nenhuma ação que paralise o Estado. O que foi feito até agora, quem quer que venha precisa fazer essa transição para dar continuidade e por a minha cara evidentemente. Vou trazer mais detalhes em uma próxima oportunidade. O período foi muito curto até o momento. Agradeço aos secretários que nos ajudaram nessa transição.

Quanto a avaliação do impeachment, realmente não cabe a mim julgá-lo ou avaliar qualquer conduta dele. Existem poderes que podem dar essa resposta. Eu batalhei muito para sair dessa Relação com Jair Bolsonaro no ponto de vista de gestão e possibilidade de convidar deputados ao secretariado

Relação com Jair Bolsonaro no ponto de vista de gestão e possibilidade de convidar deputados ao secretariado

Em relação a Covid-19 o nosso ente maior é o Ministério da Saúde que nos dá um norte para as ações aqui. Algumas coisas eu devo fazer melhorias em Santa Catarina. É uma situação que precisamos avaliar cada caso. Nunca fui a favor do “fecha tudo”. Acredito que precisamos cuidar dos doentes de acordo com o quadro clínico de cada um. O alinhamento existe com o presidente Bolsonaro, mas precisamos avaliar cada situação e paciente.

Eu acredito que tem sim entre os deputados pessoas que possam contribuir no governo. Não tenho restrição alguma neste sentido. Tudo é uma questão de diálogo e construção. O critério fundamental é que sejam pessoas técnicas e alinhas com o compromisso que assumi com Santa Catarina.

Alinhamento com o Governo Federal e residência oficial do governador

Essa aproximação é muito importante. Sempre fui muito bem recebida em Brasília. Minhas pautas sempre foram bem atendidas. Na condição de governadora terei ainda mais acesso. Já pedi para fazer o levantamento de todas as possibilidades que pudemos buscar em questão de recursos no Governo Federal.

Existe uma parte institucional na residência bem importante. A residência oficial da vice-governadora não têm condição de receber autoridades e ministros, o próprio presidente. Pessoalmente eu até não gostaria de submeter os meus filhos a mais uma mudança. Mas, a parte institucional é muito importante. Pretendo receber ministros, embaixadores de outros países. Nessa credibilidade que temos que passar aos investidores, precisamos recebe-los em um lugar a altura.

Infraestrutura em SC

Santa Catarina não pode parar. Teremos que fazer essa transição sem prar o Estado. Não posso falar individualmente de contratos, alguns com certeza precisam ser revistos. Temos a necessidade da infraestrutura em Santa Catarina. O resto Santa Catarina “faz sozinho”.

Tenho defendido em Brasília e defenderei com muito mais ímpeto. Infraestrutura é um investimento que no curto período de tempo volta ao governo do Estado em renda e desenvolvimento. A capacidade da nossa gente é muito diferenciada. 

Existe um perfil que a senhora busque para líder na Alesc?

Esse nome será construído com todos os deputados. Ele precisará ser o representante do governo na Alesc. Queremos apresentá-lo no menor período possível. Quero agradecer a deputada Paulinha, que me defendeu mesmo sem ser minha amiga e com pensamentos diferentes em muitas áreas. Ela sempre defendeu o governo do Estado, tenho muito a agradecer a ele. Passo a conversar com os deputados na condição de governadora para discutirmos a pessoa que será a representante na Alesc.

Preciso respeitar os poderes, as instituições, a competência de cada um no Estado. Preciso administrar Santa Catarina baseado no respeito as pessoas, instituições. Não me cabe julgar esse ou aquele. Preciso abraçar o Estado com o compromisso gigante que tenho e farei com muita honra e responsabilidade.

>>>Clique e receba notícias do JRTV Jornal Regional diariamente em seu WhatsApp.


  • por
  • Jornal Regional
  • FONTE
  • ND+



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook

banner responsivo
banner responsivo

SIGA-NOS