Honda diz que acidente em carro equipado com 'airbags mortais' matou uma pessoa no Brasil

15/02/2020 - 10h26

Honda anunciou na noite desta sexta-feira (14) que teve conhecimento de um caso de acidente com morte envolvendo um veículo da marca equipado com os airbags defeituosos da Takata.

O acidente, segundo a Honda, ocorreu no Rio de Janeiro, envolvendo um Civic 2008. A perícia, ainda de acordo com a empresa, "determinou que houve a ruptura anormal do insuflador do airbag Takata, causando ferimentos que levaram à morte do motorista."

Este é o primeiro caso de morte envolvendo veículos equipado com os chamados "airbags mortais" no Brasil. Em setembro de 2018, a Honda informou que havia 28 ocorrências de rupturas das bolsas no país, com 11 feridos.

A Honda ainda disse que "já comunicou as autoridades competentes e seguirá colaborando disponibilizando as informações sobre a ocorrência."

De acordo com a empresa, o Civic acidentado foi convocado para o recall em 2015 para troca do insuflador do airbag do lado do motorista, mas o proprietário não levou o carro para a realização do reparo.

Reparo é gratuito

Em nota, a fabricante ainda informou que "continua a convocar proprietários de veículos afetados pelos recalls do insuflador de airbags Takata e pede para que levem, com urgência, seus veículos a uma concessionária autorizada para o reparo."

Os proprietários podem checar no link se seus veículos precisam de reparo. O agendamento pode ser feito pelo mesmo site ou pelo telefone: 0800-701-3432.

Outras marcas

Além da Honda, outras 14 marcas convocaram recalls para trocar o equipamento defeituoso no país.

Esses airbags da Takata estão ligados a 22 mortes nos Estados Unidos, na Austrália e na Malásia, e provocaram o maior recall da história. O caso ficou conhecido como o dos "airbags mortais".

Qual é a falha

A Takata revelou o defeito em 2013. Desde então, somente no Brasil, mais de 2 milhões de carros, de 15 diferentes marcas, foram chamados para a troca da peça defeituosa desses airbags, chamada insuflador.

O insuflador é uma espécie de caixa metálica que abriga o gás que faz a bolsa de ar inflar. O defeito nessa peça causa uma abertura forte demais quando o airbag é acionado.

Além disso, a falha gera trincas no insuflador e, com a explosão do airbag, ele se estilhaça, atirando pedaços de metal contra os ocupantes, causando ferimentos que podem ser fatais e já foram comparados a facadas.

>>>Clique e receba notícias do JRTV Jornal Regional diariamente em seu WhatsApp.


  • por
  • Jornal Regional



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook

Website Security Test