Pico de chuva de meteoros será visto em SC nesta semana
Segundo a Rede Brasileira de Monitoramento de Meteoros, estão previstos fenômenos explosivos e bolas de fogo.

Foto: Jocimar Justino/Divulgação

Foto: Jocimar Justino/Divulgação

28/07/2021 - 11h18

Duas chuvas de meteoros atingem frequência máxima e prometem movimentar o céu catarinense nesta semana. O alerta foi divulgado pela Bramon (Rede Brasileira de Monitoramento de Meteoros) nesta terça-feira (27).

Os fãs de astronomia devem ficar ligados no céu já na sexta-feira (30), quando ocorre a máxima da Alfa Capricornídeas, proporcionando um verdadeiro espetáculo nas alturas. Nesse período, segundo Jocimar Justino, membro da Bramon, “o número de meteoros vistos em determinado intervalo de tempo aumenta consideravelmente”.

Segundo o observatório, este evento, apesar de não ser tão intenso, chama a atenção porque produz meteoros explosivos e algumas bolas de fogo.

Apesar da máxima estar calculada para acontecer na sexta-feira (30), a atividade da Alfa Capricornídeas está ocorrendo desde 3 de julho. A previsão é que acabe no dia 15 de agosto.

Delta Aquarídas

Ainda no final de semana, a Delta Aquarídas do Sul promete desfilar sua beleza no céu. Melhor vista nas regiões tropicais do Hemisfério Sul, sua atividade acontece entre 12 de julho e 23 de agosto – mas é no sábado (31) que sua repetição atinge nível máximo.

Isso porque, neste dia, até 16 meteoros podem ser gerados. Por outro lado, conforme a Bramon, os fenômenos luminosos desta chuva costumam ser fracos, sem trilhas persistentes ou bolas de fogo.

“Provavelmente são formados por detritos do cometa 96P/Machholz, um cometa de curto período, que a cada seis anos passa a apenas 18,6 milhões de quilômetros do Sol”, explicou a Bramon, em publicação desta terça.

No dia 24, Justino já havia registrado uma chuva de meteoros da Delta Aquáridas do Sul na sua estação em Monte Castelo, no Planalto Norte do Estado:

Como ver?

Os eventos são fáceis de serem observados, já que não são necessários telescópios ou outros instrumentos ópticos. Basta procurar um local escuro e preferencialmente afastado dos grandes centros. Uma dica da equipe da Bramon é desligar as luzes em volta.

As noites de pico são as melhores para observação. Vale lembrar que os meteoros não se concentram em um único período – isso significa que as chuvas ainda podem ter uma boa atividade nas noites próximas.

“Considerando a Lua em fase minguante, é provável que a noite do dia 30 para 31 seja mais intensa”, informou a equipe da Bramon. O melhor horário será entre 22h e 0h30 da manhã.

O que fazer quando ver?

O meteoro é um fenômeno luminoso que ocorre quando um pequeno fragmento de rocha espacial atravessa a atmosfera em altíssima velocidade.

Enquanto se admira o fenômeno, Jocimar Justino orienta que os moradores prestem atenção em alguns detalhes para contribuir com os trabalhos dos pesquisadores:

-Registrar a hora de forma mais precisa;

-procurar referências no céu: as estrelas presentes, a direção do objeto, etc;

-Gravar um áudio, relatando o que viu, logo após o fenômeno;

-Depois, enviar através da ferramenta de relatos do Bramon.

>>>PARTICIPE DO GRUPO DE NOTÍCIAS NO WHATSAPP. 


  • por
  • Jornal Regional



DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook